ISSN: 2595-8410 Contato: (11) 3043-4171

Marcelo Piazera (*)

Crise! O termo é bastante conhecido nos últimos anos e tem assustado a população e pessoas que buscam investir no próprio negócio

No entanto, o mercado pet tem se destacado e continua em crescimento mesmo nesse cenário turbulento. Segundo informações do IBGE, em 44,3% dos lares brasileiros existe a presença de ao menos um cachorro e em 17,7%, um gato.
Isso significa que são mais de 52,2 milhões de cães e ainda 22,1 milhões de gatos morando com seus donos, representando uma parcela significativa das despesas da família brasileira e de clientes que podem ser abastecidos, revelando um mercado poderoso.

Atualmente, o País é o segundo maior mercado para pets do mundo, e a cada dia as famílias retardam a concepção de um filho e o animal entra como substituto nesse meio. E uma vez que entrou na vida de alguém, difícil viver sem um pet ao lado. Ou seja, o mercado só tende a crescer mostrando que o setor vai muito além de pet shops.

Apesar do grande número de animais de estimação, poucas cidades no país possuem farmácias exclusivas para pets, por exemplo. O brasileiro está começando a mudar o hábito de comprar medicamentos e artigos em farmácias tradicionais e grandes mercados para adquirir em lojas e empresas especializadas e focadas no mercado.

Segundo último levantamento da Abinpet (Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação), o segmento pet no Brasil atingiu o faturamento de R$18,9 bilhões em 2016, sendo que o setor Vet foi responsável por 7,8% desse faturamento e apresentou o maior crescimento frente aos demais.

Vale acrescentar que geralmente os medicamentos animais, se comparados com os feitos para humanos, tendem a ter um valor um pouco mais elevado. O que torna o negócio algo lucrativo e, ao mesmo tempo, fonte de muita inspiração e amor aos animais, já que o foco principal é ajudar os bichinhos.

Esse é o grande diferencial do mercado pet: trazer conceitos inovadores e sempre estar em busca de novidade. Um exemplo que pode ser adaptador para todos os outros setores, como uma alternativa para driblar a crise. Nesse cenário repleto de incertezas se destacar de seus concorrentes e perceber a demanda de seu consumidor, pode levar o sucesso do negócio, mesmo em um cenário desfavorável.

Voltando um pouco o olhar para os negócios, é importante ressaltar que a franquia geralmente abocanha uma zona maior de influência onde estiver instalada. Isso quer dizer que a concorrência é menor, chegando a quase zero, por se tratar de um centro especializado em medicamento por manipulação. O franqueado consegue sucesso, principalmente, ao criar vínculos e amizades com os clientes que passam a frequentar a farmácia como um local próximo e dedicado ao seu melhor amigo.

Por fim, vale destacar que o franchising tem maior chance de sucesso, se comparado a uma empresa própria, ao oferecer um modelo de negócio seguro, confiável e mais estável. O setor a cada ano chama atenção de investidores e atrai olhares curiosos de quem está em busca de um novo negócio e até mesmo não possui experiência em administrar o próprio. Com maior chance de sucesso, se comparado a uma empresa própria, a franquia oferece um modelo de negócio seguro, confiável e mais estável.

Segundo levantamento do Sebrae, 60% das empresas brasileiras não sobrevivem até o quinto ano de operação, enquanto, no franchising, esse número cai para 15%.

(*) - Formado em Direito pela Universidade Regional de Blumenau; MBA em Gestão Empresarial pela FGV; especialização pela Franchising College; é sócio-fundador da Fórmula Animal Farmácia de Manipulação Veterinária.

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171