Economia cresceu 0,9% no trimestre finalizado em janeiro

O destaque foi o crescimento das atividades de agropecuária (8,2%), transformação (6,1%), comércio (4,6%) e transporte (2,9%).

A economia brasileira teve um crescimento de 0,9% no trimestre finalizado em janeiro deste ano, na comparação com o trimestre anterior (encerrado em outubro de 2017)

A estimativa é do Monitor do PIB, da Fundação Getulio Vargas (FGV), que busca antecipar o desempenho do PIB, divulgado trimestralmente pelo IBGE.
Na comparação com o trimestre encerrado em janeiro de 2017, o PIB avançou 2,2%, segundo a FGV. O destaque foi o crescimento das atividades de agropecuária (8,2%), transformação (6,1%), comércio (4,6%) e transporte (2,9%). O crescimento da agropecuária foi influenciado pela alta de 26% da pecuária. A agricultura, por sua vez, teve queda de 1,9%. Ainda na comparação com o trimestre encerrado em janeiro de 2017, pela ótica da demanda, o consumo das famílias aumentou 2,7% e a formação bruta de capital fixo (investimentos) avançou 4,4%.
A taxa de investimento sobre o PIB ficou em 17,7%. No comércio externo, as exportações cresceram 1,9%, mas as importações tiveram uma alta ainda maior (7,6%). No acumulado de 12 meses, o PIB teve alta de 1,2%. Considerando-se apenas janeiro deste ano, houve uma queda de 0,3% na comparação com dezembro de 2017 (ABr).

Estados Unidos ‘vão negociar’ tarifas de aço e alumínio com Brasil

Presidente Michel Temer.

O presidente Michel Temer informou ontem (21) que os Estados Unidos começarão a negociar com o Brasil nova tarifa para importação de aço e alumínio. Ao falar sobre a medida, informada em nota do governo norte-americano, Temer ressaltou que a nova tarifa não será aplicada enquanto as negociações estiverem em curso.
“Estou vendo agora uma declaração feita pela Casa Branca que o Brasil é um dos países com quem começarão as negociações visando a eventual exceção às tarifas sobre importação de aço e alumínio. As novas tarifas, diz a mensagem da Casa Branca, não se aplicarão enquanto estivermos conversando sobre o tema. Uma boa notícia”, disse o presidente, durante reunião do Conselhão.
Temer havia conversado com um representante da indústria brasileira produtora de aço. Na conversa, o presidente foi munido de argumentos para convencer o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a excluir o Brasil da nova tarifa. A previsão era que as tarifas fossem aplicadas a partir de amanhã (23), duas semanas depois da promulgação por parte de Trump. Com o anúncio do governo americano, segundo informado por Temer, a aplicação da tarifa fica suspensa (ABr).

Prévia da confiança da indústria tem alta, diz FGV

O Índice de Confiança da Indústria teve uma alta de 1,7 ponto na prévia de março, na comparação com o resultado consolidado de fevereiro. Caso o resultado preliminar se confirme na divulgação final da pesquisa, o indicador alcançará o patamar de 102,1 pontos, o maior desde junho de 2013 (104,9 pontos). A informação foi dada ontem (21) pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).
A alta da confiança é resultado da melhora tanto das expectativas quanto das avaliações sobre o momento presente. O Índice de Expectativas subiu 2,3 pontos em março e atingiu 103,7 pontos na prévia, o maior desde junho de 2013 (104,9). O Índice da Situação Atual (ISA) subiu 1,0 ponto e chegou a 100,4 pontos.
O resultado preliminar de março indica alta de 0,5 ponto percentual no Nível de Utilização da Capacidade Instalada da Indústria, para 76,1%, o maior desde maio de 2015 (76,6%). O resultado final da pesquisa será divulgado no próximo dia 27 (ABr).

Aprovada MP do repasse de R$ 2 bilhões aos municípios

A MP que autoriza o repasse de R$ 2 bilhões aos municípios foi aprovada sem modificações pelos deputados e senadores da comissão mista responsável pela análise da matéria. O texto define que a fatia de cada cidade será calculada de acordo com as proporções estabelecidas pelo Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Os recursos deverão ser aplicados, preferencialmente, em saúde e educação.
O relator, senador Antonio Anastacia (PSDB-MG), defendeu a aprovação da proposta. O deputado Décio Lima (PT-SC) votou a favor da medida, mas ressaltou que os R$ 2 bilhões só cobrem metade das perdas financeiras das prefeituras em 2017. “A ajuda pode até amenizar a situação, porém os municípios continuarão com problemas gravíssimos neste modelo concentrador atual”, afirmou.
Por sua vez, o presidente da comissão, deputado Hildo Rocha (PMDB-MA), argumentou que os recursos já vão dar um bom alívio às cidades. “As cidades menores vão poder oferecer à população um serviço de saúde melhor. Os prefeitos poderão comprar, por exemplo, vacinas e medicamentos que estão em falta”, comentou. A MP segue agora para análise do Plenário (Ag.Câmara).

Comércio de queijos artesanais e embutidos

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou o projeto do deputado Evair Vieira de Melo (PV-ES), que permite a comercialização entre os estados de produtos artesanais de origem animal, como queijos e embutidos. A matéria será enviada ao Senado.
O texto aprovado é um substitutivo do deputado Fábio Sousa (PSDB-GO) para esse projeto e seus apensados. De acordo com o substitutivo, o produto artesanal, caracterizado como aquele feito segundo métodos tradicionais ou regionais próprios, empregando-se boas práticas agropecuárias, será identificado em todo o território nacional com um selo único com a inscrição ARTE.
Esses produtos estarão sujeitos à fiscalização de órgãos de saúde pública dos estados. Em razão da peculiaridade desses produtos serem feitos por pequenos e médios produtores, as exigências para o registro do estabelecimento e de seus produtos deverão ser adequadas às dimensões e às finalidades do empreendimento e seus procedimentos deverão ser simplificados (Ag.Câmara).

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP