ISSN: 2595-8410 Contato: (11) 3043-4171

Corte de frios pode levar a contaminação por bactéria

Pesquisa da mestranda Daniele Faria, orientada pela professora Bernadette Franco, coordenadora do Centro de Pesquisa em Alimentos/ Food Research Center (FoRC) da USP, mostra como se dá a contaminação cruzada da bactéria Listeria monocytogenes no processo de corte de frios.

frios-600 temporario

 

A contaminação cruzada é o processo de transferência de micro-organismos de um alimento contaminado para outro não contaminado. No estudo, ela simulou em laboratório a contaminação cruzada em um fatiador de frios e conseguiu demonstrar que essa bactéria é transferida a duas centenas de fatias de rosbife cortadas por um aparelho contaminado com o micro-organismo.

O estudo comprova que, apesar de o processamento térmico desses alimentos ser suficiente para eliminar esse micro-organismo, a ocorrência de contaminação cruzada pós-processamento pode resultar em aumento do risco à saúde do consumidor. A Listeria monocytogenes é uma bactéria que pode colocar em risco a vida de pessoas com imunidade baixa e a dos bebês durante a gravidez. O micro-organismo é um patógeno que pode estar presente em alimentos prontos para o consumo, pois são mantidos em refrigeração e possuem longa vida de prateleira, favorecendo a multiplicação deste patógeno. “O Brasil precisa estudar melhor essa bactéria. Trata-se de um patógeno que sequer aparece nas nossas estatísticas epidemiológicas”, afirma Daniele.

"Listeria" sobrevive a temperaturas muito frias e a alimentos com muito sal.A Listeria monocytogenes é causadora da doença listeriose, infecção que tem incidência baixa, mas alto grau de severidade e alto índice de mortalidade (20% a 30%) e cujos sintomas em um adulto normal são semelhantes aos da gripe.”Trata-se de uma bactéria que pode causar problemas sérios em gestantes, recém-nascidos, idosos e pacientes debilitados e imuno-deprimidos”, alerta. “No caso das gestantes, a listeriose materno-fetal ocorre com mais frequência no último trimestre da gestação. Os sintomas iniciais são semelhantes a uma gripe, com febre, mialgias e dor de cabeça, seguidos de complicações, como aborto, feto natimorto, nascimento prematuro e infecções neonatais”, explica.

Já alisteriose invasiva, se caracteriza por bacteremia, doença caracterizada pela grande presença de bactérias no sangue, com ou sem focos evidentes de infecção, ou por afetar o sistema nervoso central podendo causar meningite, meningoencefalite e abscessos no cérebro. “Afeta pincipalmente pacientes com mais de 50 anos, causando febre, alterações na percepção sensorial e dor de cabeça”, acrescenta.

hqdefault 33 temporarioContaminação
Para estudar a extensão da contaminação cruzada, Daniele adquiriu uma peça de rosbife não contaminado, inseriu a bactéria em uma peça e a cortou. Depois de contaminado o cortador, ela passou a fatiar uma peça não contaminada. O processo foi feito em laboratório, mas em temperatura ambiente. Ela estudou cada uma das fatias, verificando quantas bactérias estavam presentes, e descobrindo que até a ducentésima fatia ainda havia presença da Listeria monocytogenes. “Apesar da transferência de bactérias de uma fatia para outra ir decrescendo, em número, a pesquisa mostra que a contagem na última fatia obtida é alta”, aponta.

Segundo Daniele, essa bactéria sobrevive a grande variação de temperatura — de quatro graus negativos até 50 graus Celsius. Portanto, o problema pode se dar tanto em locais onde as pessoas pedem o produto fatiado quanto para quem compra a peça inteira ou ainda fatiada e acondicionada em embalagens de isopor. “Se o alimento contaminado estiver em uma bandeja, a bactéria pode sobreviver ao processo de resfriamento”, completa. “A Listeria sobrevive a temperaturas muito frias e a alimentos com muito sal, então esse tipo de produto é ideal para ela se estabelecer”, diz.

Um dos principais objetivos de Daniele com a pesquisa é alertar as autoridades sanitárias no Brasil. “O País não tem legislação para garantir que produtos como o rosbife e outros frios estejam livres da Listeria, bem como exigir um processo de limpeza e sanitização adequados em locais de fatiamento, e não faz alertas para os grupos mais vulneráveis ao risco de contaminação”, conclui.

(Agência USP de Notícias).

Objetos apresentam quantidade surpreendente de bactérias

Aline Naoe/Agência USP de Notícias

Botões de elevador, teclas de caixas eletrônicos, relógio de ponto biométrico. Locais aparentemente inofensivos se comparados às salas de isolamento, laboratórios e contêineres de lixo infectado são, na verdade, porto seguro para uma miríade de micro-organismos que causam as temidas infecções hospitalares. Foi utilizando uma tecnologia chamada sequenciamento de nova geração que uma equipe do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo (IMT) da USP conseguiu identificar uma quantidade surpreendente de bactérias em superfícies frequentemente tocadas com as mãos dentro do Hospital das Clínicas (HC), maior complexo hospitalar da América Latina, ligado à Faculdade de Medicina (FM) da USP.

Métodos modernos de biologia molecular, com equipamentos que conseguem ler rapidamente milhões de fragmentos de DNA ao mesmo tempo, permitem análises antes impossíveis de fazer. Assim, o grupo liderado pelo pesquisador Sabri Sanabani coletou amostras que resultaram na identificação de 926 famílias de 2.832 gêneros de bactérias. Algumas delas, como a Salmonella enterica e a Staphylococcus aureus, podem ser perigosas, inclusive, para pessoas saudáveis, como os familiares e servidores, “mas especialmente perigosos para os pacientes imunocomprometidos, como pacientes com câncer submetidos a quimioterapia, e transplantados e pacientes que são HIV positivo”, ressalta.

Segundo Sanabani, pela própria metodologia utilizada, sabia-se de antemão que o resultado seria um número grande de bactérias, já que o foco eram superfícies de contato de áreas de grande circulação. “No entanto, a enorme diversidade de população bacteriana foi uma verdadeira surpresa para nós”, afirma. Os resultados do estudo, publicados no International Journal of Environmental Research and Public Health, foram encaminhados ao HC e a equipe já se colocou à disposição para fazer as análises novamente para avaliar melhoras na higiene.

Saúde pública
O pesquisador explica que é impossível haver um hospital livre de germes, mas aponta caminhos, como campanhas educativas que alertem sobre higiene. Ele sugere, por exemplo, uma voz automatizada nos principais ambientes do hospital, como corredores, salas de espera e pronto-atendimento, que chame a atenção para a importância da higiene das mãos.

Outra medida básica apontada pelo especialista é a limpeza. “A limpeza completa e eficiente remove mais de 90% dos microrganismos. Ela tem que ser realizada de uma forma padronizada, ou se possível, por meios automatizados para garantir um nível adequado de higienização”. Segundo Sanabani, um ponto fundamental é que exista ampla oferta de pias com sabão liquido e papel toalha, bem como álcool antisséptico.

A pesquisa chama a atenção para a necessidade de compreender melhor as comunidades de bactérias nos hospitais e de investigar como esses agentes são transmitidos de lugar para lugar e de pessoa para pessoa. “É extremamente importante ter um estudo como este realizado pelo nosso grupo, para podermos avaliar o estado atual dos ambientes hospitalares e identificar as áreas que se beneficiariam mais com uma higienização completa, ou em casos específicos, uma reforma”.

O estudo sobre contaminação em ambiente hospitalar foi pontual, já que a investigação é mais ampla e quer explorar toda população bacteriana que possa representar perigo para a saúde pública. Outro trabalho recente do grupo utilizou as mesmas técnicas para analisar notas de dinheiro e encontrou diversos agentes patogênicos oportunistas. “E estamos planejando iniciar um estudo para investigar o microbioma no sistema de ar condicionado nas diferentes linhas de metrô”, adianta Sabri Sanabani.

Mais artigos...

  1. Rosa despetalada
  2. Após 4 anos de tolerância zero na Lei Seca, motoristas ainda resistem a mudanças
  3. A centralidade da cultura na construção da ‘japonesidade’
  4. Permanecer muito tempo sentado prejudica a longevidade
  5. Sacola plástica é uma das maiores vilãs do meio ambiente
  6. Depressão também atinge populações da Amazônia
  7. Alimentação saudável reduz risco de doenças cardíacas em até 80%
  8. O circo chega às escolas
  9. Infarto também é assunto de mulher
  10. O perigo do remédio sem uso na farmacinha de cada casa
  11. Aquecimento poderá reduzir em 44% a grande circulação das águas do Atlântico
  12. Já em uso no país, audiências de custódia podem virar lei
  13. Estudo da Torá mostra riqueza literária de escritos bíblicos
  14. Chaplin a serviço de Chaplin
  15. 7 de abril – Dia Mundial da Saúde: Um em cada 11 adultos no mundo tem diabetes
  16. Métodos substituem animais vivos nas aulas de veterinária
  17. Relatório revela privatização da educação pública no país
  18. Mobilizados, estudantes querem maior participação nas decisões nacionais
  19. Regimes jurídicos distintos afetam negociação da dívida pública
  20. Em vigor há 18 anos, Código de Trânsito Brasileiro é alvo de propostas de atualização
  21. Amigos e vizinhos estimulam a prática de atividade física
  22. Em meio à crise, microfranquias crescem no Brasil
  23. Veja 3 efeitos imediatos da crise política no Brasil
  24. Projetos miram caixa-preta das tarifas de ônibus
  25. Frutas nativas brasileiras podem ser alternativa de renda
  26. O pêndulo demográfico
  27. Código de Processo Civil entrou em vigor com a promessa de agilizar ações
  28. Promotor da 'Mãos Limpas' elogia Moro e diz temer retaliação
  29. Congresso combate violência obstétrica
  30. Sob a lona, o poder do riso
  31. Projeto de alunos concorre em competição internacional
  32. Oswaldo Cruz, o médico que derrotou o Aedes
  33. Engenheiro define carreira até 3 anos após o primeiro emprego
  34. 58 milhões de devedores estão negativados, indica SPC Brasil
  35. Mulheres lutam por igualdade, mas problemas históricos persistem
  36. Atuações de mulheres no setor de franquias crescem e redes comemoram
  37. Desperdício de comida desafia sociedade moderna
  38. Sífilis avança e deve chegar a quase 42 mil casos entre gestantes neste ano
  39. Quando as emoções entram em pane
  40. Medalha de ouro em Los Angeles, Joaquim Cruz busca sucessor em Brasília
  41. Remédio comum pode salvar da morte vítimas de escorpiões
  42. Voto impresso começa a valer em 2018, mas já é alvo de críticas
  43. PE: mais da metade das famílias de bebês com microcefalia são de baixa renda
  44. Crise de refugiados e violência ameaçaram direitos humanos em 2015
  45. Sistema ajuda portador de deficiência visual a se locomover
  46. Intervenções espirituais e religiosas na saúde são benéficas
  47. Livro resgata ideias econômicas de Roberto Simonsen
  48. Ensino de literaturas africanas precisa de melhorias
  49. Arqueologia na Amazônia elucida mistério de 500 anos
  50. Cérebro induz à escolha de alimentos calóricos para armazenar energia
  51. Obesidade pode interferir na aprendizagem das crianças
  52. Um dia na maior universidade de aviação do mundo
  53. Jornada de refugiados inclui perigos da travessia e desafios da integração
  54. Engraxates ambulantes influenciaram no samba paulistano
  55. Mais tempo para mães de prematuros
  56. Com diferentes estilos e histórias, 355 blocos animam carnaval paulistano
  57. Mesmo com crise, escolas prometem carnaval luxuoso em São Paulo
  58. Perda de emprego leva pessoas para o trabalho informal
  59. Eleição de líderes partidários movimenta retomada dos trabalhos legislativos
  60. Comissões de frente surpreendem por inovações a cada carnaval
  61. Desemprego fecha dezembro em 6,9% e atinge maior taxa para o mês desde 2007
  62. Escolas de samba apostam na especialização para produzir alegorias e adereços
  63. Vegetais: crus ou cozidos?
  64. Ano Novo Chinês: conheça as tradições milenares que marcam a data_a
  65. Travestis comemoram entrada em universidades e esperam diálogo mais saudável
  66. Aída foi a primeira a voar
  67. Aquífero Guarani: estudo analisa as negociações do acordo
  68. Cães reconhecem o significado de expressões emocionais
  69. DOI-Codi sequestra e mata Manoel Fiel e diz que metalúrgico cometeu suicídio
  70. Modernidade traz novos significados aos contos de fadas
  71. Distúrbios na tireoide podem causar ansiedade e depressão
  72. Atletas se destacam pela persistência; relembre momentos das Olimpíadas
  73. Oferta de frutas é similar em regiões ricas e pobres de São Paulo
  74. Pesquisa traça panorama dos acidentes de trânsito no Brasil
  75. Liga acadêmica une teoria e prática em ação para a sociedade
  76. Licença para voar
  77. Economias de aglomeração podem ampliar desigualdade espacial
  78. A supressão da cidadania nas celas
  79. 2015: O ano que o futebol começou a limpar as chuteiras
  80. Crise migratória e atentados terroristas marcam cenário internacional em 2015
  81. Conheça mitos e verdades sobre a osteoporose
  82. Peixe do rio Negro coletado por Alfred Wallace há 160 anos é finalmente descrito
  83. Projeto proíbe revista vexatória de visitante de jovem infrator internado
  84. Pequeno príncipe, grande aviador
  85. Patrimônio histórico nas mãos das Geociências
  86. Mudança no crime organizado ajudou a reduzir homicídios
  87. Universalização da pré-escola traz desafio gigantesco aos municípios
  88. Falta de assistência no nascimento de bebês incomoda mães
  89. Gastar menos energia é melhor ação contra aquecimento global
  90. Revelando o turista-fotógrafo
  91. Cidades pretendem reduzir quase pela metade emissões de CO2 até 2020
  92. O Estatuto do Desarmamento sob ameaça
  93. Getúlio e Collor também passaram por processo de impeachment
  94. Políticas públicas também tratam a saúde como mercadoria
  95. Estudo indica que Zika vírus está cada vez mais eficiente para infectar humanos
  96. Padronizar tamanho de roupas é possível, mostra estudo
  97. Pesquisador investiga a privatização e a concentração de capital no ensino superior
  98. Desmatamento reduz tamanho de peixes em região amazônica
  99. Mobilização marca vida dos encarcerados nas prisões
  100. Decreto regulamenta publicidade de alimentos infantis

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171