Proteção de dados ganha importância na política e economia no Brasil

Todos os dias, deixamos “rastros” em diversas atividades cotidianas. Quando damos “likes” ou compartilhamos algo em redes sociais, indicamos preferências sobre temas. Ao fazer um cadastro para acessar um site ou serviço na internet, fornecemos identificações importantes, como carteira de motorista e endereço. Ao dar o CPF após uma compra ou para adquirir descontos, fornecemos ao vendedor nossa identificação e informações sobre o que adquirimos e quanto gastamos. Ao usar a digital para entrar em um prédio, deixamos um registro biométrico fundamental sob responsabilidade de empresas e órgãos que, muitas vezes, são desconhecidos

img protecao-de-dados internet computador-chave temporario

Jonas Valente/Agência Brasil

Há casos em que a simples presença próxima a dispositivos com câmeras e microfones pode significar a gravação de imagens e conversas. Os rastros das nossas atividades, assim como informações sobre nós (como identidade, CPF, data de nascimento, gênero, cor, endereço, nome de pai e mãe, entre outros), ao serem coletados e tratados, transformam-se em dados pessoais. Com a disseminação de tecnologias digitais, informações variadas são transformadas em bits (0s e 1s), reunidas, cruzadas e analisadas em bancos de dados de capacidade crescente e com sistemas cada vez mais complexos, inclusive com alta capacidade de processamento naquilo que passou a ser chamado de inteligência artificial.

Riscos
Com a disseminação da coleta massiva de informações das pessoas, os riscos de abusos e violação ao direito à privacidade (garantido no Brasil pela Constituição Federal) vêm crescendo, provocando o debate sobre a necessidade de legislações específicas. No Brasil, duas propostas tramitam no Congresso. Outros países já contam com suas normas. As violações e os abusos envolvem desde empresas privadas ao Poder Público, de equipamentos e grandes bancos de dados.

Em 2013, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) firmou acordo para repassar dados de mais de 100 milhões de eleitores à empresa de crédito Serasa, medida que acabou suspensa após críticas. Em 2015, a Samsung admitiu que aparelhos chamados por ela de “TVs inteligentes” gravavam as conversas próximas. Em 2014, o ex-agente da Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos Edward Snowden denunciou que o governo daquele país espionava autoridades e pessoas em diversos países, com auxílio de grandes empresas de tecnologia.

g dados temporarioManipulação eleitoral
Nos últimos meses, a discussão gira em torno dos riscos aos sistemas democráticos. Em março, reportagens de jornais no Reino Unido e nos Estados Unidos revelaram um vazamento de dados de 87 milhões de pessoas coletados no Facebook por meio de um aplicativo de perguntas, que foram posteriormente repassados a uma empresa de britância marketing digital, Cambridge Analytica. Munida dessas informações, ela teve papel decisivo na eleição de Donald Trump e na saída do Reino Unido da União Europeia, conhecida como “Brexit”. A firma também operou em eleições de outros países, como Quênia, Austrália, México, além de estabelecer escritório no Brasil.

Ao reunir informações sobre o perfil das pessoas, suas preferências, seus medos e suas visões de mundo, marqueteiros e responsáveis por campanhas conseguiam produzir e disseminar conteúdos quase personalizados. Em reportagem da TV britânica Channel 4, um dos dirigentes da Cambridge Analytica relatou que a empresa explorava sentimentos dos eleitores, como o medo, para vincular os receios dos públicos-alvo a candidatos adversários, buscando manipular as emoções em favor de seus clientes. Coincidência ou não, Donald Trump recebeu esse apoio e acabou sendo eleito presidente do país mais poderoso do mundo depois de sair de uma posição desacreditada.

O escândalo alertou autoridades e usuários para os riscos da falta de proteção de dados pessoais. Governos dos Estados Unidos, do Reino Unido e, inclusive, do Brasil, abriram investigações sobre o caso. O presidente do Facebook, Mark Zuckerberg, e outros dirigentes da plataforma foram sabatinados nos parlamentos dos EUA e do Reino Unido. Na ocasião, Zuckerberg admitiu que a empresa falha no cuidado com a privacidade de seus usuários e anunciou algumas medidas.

Mercadoria valiosa
Outro risco está no aumento da demanda pela coleta de dados na economia. Essas informações vêm sendo consideradas um insumo fundamental para diversos setores, apelidados de “novo petróleo” por empresas, organismos internacionais e analistas. Os dados são a base de processos da “indústria 4.0” ou “transformação digital”. Segundo o Fórum Econômico Mundial, a transformação digital pode gerar até US$ 10 trilhões anuais na próxima década (R$ 35,4 trilhões, ou 5,3 vezes o Produto Interno Bruto brasileiro registrado em 2017). A Europa projeta um crescimento da sua economia de dados de € 285 para € 739 bilhões entre 2015 e 2020.

Com isso, a coleta de dados tornou-se um negócio não apenas de empresas de tecnologia da informação, mas de uma gama variada de setores, provocando preocupações quanto a usos indevidos. Em 2011, a Disney foi multada em R$ 10 milhões por coletar e compartilhar informação de crianças, violando a Lei de Proteção Online da Infância dos Estados Unidos.

No Brasil, muitas farmácias passaram a oferecer descontos em troca de descontos. O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) abriu investigação neste ano para apurar se as informações estavam sendo repassadas a planos de saúde. Redes de supermercado também passaram a oferecer descontos em troca de cadastros em programas de fidelização por meio de aplicativos. No ano passado, o Instituto de Defesa do Consumidor (Idec) questionou o Grupo Pão de Açúcar sobre o tratamento das informações com vistas a averiguar se não haveria desrespeito ao Marco Civil da Internet.

Discriminação144483-3 temporario
Os dados das pessoas são usados também para definir perfis de consumidores. Esta prática vêm ensejando questionamentos sobre a discriminação de pessoas por classe, cor e endereço no tocante à contratação de serviços. A organização ProPublica, dos Estados Unidos, denunciou em 2016 que o mercado imobiliário aproveitava a segmentação do Facebook para excluir negros de anúncios de imóveis.

dados-pessoais-470748027 temporarioEm 2018, o Ministério Público do Rio de Janeiro abriu investigação contra o site de venda de passagens e pacotes Decolar.com ao constatar discriminação nos preços ofertados de acordo com a localização do usuário. O Instituto de Defesa do Consumidor (Idec) lançou campanha criticando a “nota de crédito”, um índice formulado a partir das informações de cada pessoa para definir, entre outras coisas, limite de cartão de crédito e condições de financiamento. A entidade cobra transparência para que os cidadãos saibam os critérios utilizados e como estão sendo classificados.

Segurança
A falta de segurança na guarda das informações, uma das dimensões da proteção de dados, também ganhou visibilidade. Em 2017, a agência de crédito Equifax teve dados de 143 milhões de clientes vazados. A firma está sendo acionada judicialmente em processo avaliado em US$ 70 bilhões. Em 2016, um vazamento envolveu informações de 57 milhões de usuários da plataforma de mobilidade Uber, sendo 196 mil brasileiros.

Mais artigos...

  1. Mais de 80 mil brasileiros migraram para Portugal em busca de segurança
  2. A cinco meses das eleições, Câmara e Senado trabalham em ritmo lento
  3. Jornais noticiaram Esquadrão da Morte de acordo com clima político
  4. Famílias sonham com clínica-escola gratuita para autistas
  5. Senado avança na definição de código que defende contribuintes
  6. Livro explica o poder e a consolidação dos Estados Unidos
  7. Pediatras lançam campanha para elucidar mitos sobre saúde infantil
  8. Mais de 40% dos brasileiros até 14 anos vivem em situação de pobreza
  9. Um milhão de indígenas brasileiros buscam alternativas para sobreviver
  10. Cuba elege 1º presidente após 60 anos de governo dos irmãos Castro
  11. Oito em cada dez brasileiros não se preparam para aposentadoria
  12. Vida de Adoniran Barbosa é tema de documentário
  13. Proximidade entre animais domésticos e silvestres traz riscos de doenças a humanos
  14. IBGE: ricos receberam 36 vezes acima do que ganharam os pobres em 2017
  15. Pesquisa revela que 58% dos brasileiros não se dedicam às próprias finanças
  16. Os mano e as mina na mira dos homi
  17. Maior virtuose do bandolim é lembrado no seu centenário
  18. Ferramenta auxilia na preparação tática de goleiros
  19. "Eu tenho um sonho!" - morte de Martin Luther King completou 50 anos e ex-assessor relembra lutas
  20. Multiculturalismo no futebol deve se expandir em seleções europeias
  21. Dia da Constituição comemorou avanços na cidadania desde a independência do Brasil
  22. Três anos depois de aprovada, Lei do Feminicídio tem avanços e desafios
  23. BC: Selic deve voltar a ter redução em maio e cortes se encerram em junho
  24. Em busca de um novo modelo de gestão para o uso da água
  25. Lei poderá dar segurança ao Farmácia Popular
  26. Acesso dos pobres à água só é possível com controle social, dizem especialistas
  27. Por que as mulheres “desapareceram” dos cursos de computação?
  28. Interiorização de venezuelanos para São Paulo e Manaus começa em abril
  29. Relatório da Unesco sobre água propõe soluções baseadas na natureza
  30. Veja quem luta contra quem no conflito na Síria
  31. Surto de febre amarela desafia vigilância de epidemias
  32. São Paulo, uma metrópole para poucos
  33. Mesmo com decisão do TST, governo não descarta privatização dos Correios
  34. Documento único estará disponível em julho
  35. Mulheres são donas de 31% de empresas nos Estados Unidos
  36. IBGE: mulheres ganham menos que homens mesmo sendo maioria com ensino superior
  37. Cadastro Positivo: Entenda o que é e quais são os reais benefícios ao consumidor
  38. CNI recomenda desburocratização, educação e pesquisa para indústria crescer
  39. Seu próximo negócio poderá ser de outro planeta
  40. Soluções sertanejas ajudam a vencer a seca no semiárido nordestino
  41. Pesquisador destaca papel da irrigação na sustentabilidade ambiental
  42. Laser infravermelho ajuda a combater gordura no fígado
  43. Leis não alteraram perfil dos caminhoneiros no Brasil, mostra estudo
  44. Técnicas de redução de ansiedade ajudam a acertar pênaltis
  45. Cremes dentais não resolvem sozinhos erosão dental e hipersensibilidade dos dentes
  46. Pesquisa diz que, de 69 milhões de casas, só 2,8% não têm TV no Brasil
  47. Hábitos alimentares deram nova identidade a japoneses na Amazônia
  48. Vitória antitabagista
  49. Desmatamento vai aquecer clima do planeta mais que o estimado
  50. Medida Provisória que altera reforma trabalhista ainda não começou a tramitar
  51. De Picasso a Chagall – Conheça o Carnaval retratado na arte
  52. Portela lembra na avenida os imigrantes judeus que se instalaram no Recife
  53. Beija-Flor fecha grupo especial com desfile sobre monstros e seus criadores
  54. União da Ilha desfila os sabores da culinária brasileira
  55. Na Marquês de Sapucaí, Imperatriz conta enredo dos 200 anos do Museu Nacional
  56. Haitianos são maioria entre os imigrantes no mercado formal brasileiro
  57. 60% das lesões no futebol atingem as coxas e joelhos
  58. Mídia representa pessoas em situação de rua de forma negativa
  59. Rap e jazz facilitam formação cultural e engajamento na escola
  60. Nova lei dá esperança a quem aguarda adoção
  61. Conheça 10 receitas 'italianas' que só existem no Brasil
  62. Brasileiros beneficiados pelo Daca vivem incerteza nos Estados Unidos
  63. Aumento de bilionários em 2017 poderia acabar com a extrema pobreza por 7 vezes
  64. Confira dez perguntas e curiosidades sobre a febre amarela
  65. Cai percepção de piora da economia entre comerciantes
  66. O escritor portenho Jorge Luis Borges continua dando o que falar
  67. Hepatite A: saiba como se pega o vírus, quais são os sintomas e tratamentos
  68. Queda da inflação beneficiou mais a classe de renda baixa, diz Ipea
  69. Psicanálise também tem lugar para pessoas em vulnerabilidade social
  70. Pesquisa identifica populações mais vulneráveis a transtornos mentais graves
  71. Promoções impulsionam comércio e vendas no varejo cresceram 0,7% em novembro
  72. Etanol brasileiro pode substituir 13,7% do petróleo consumido no mundo
  73. Eleições e Copa do Mundo devem afetar pauta de votações no Congresso
  74. Livro em tupi moderno busca fortalecer o idioma na Amazônia
  75. Retrospectiva/2017: Fim da recessão, queda de juros e da inflação marcaram a economia
  76. Retrospectiva/2017: O ano dos ataques cibernéticos
  77. Retrospectiva/2017: O ano em que o Brasil mostrou que se importa com a Amazônia
  78. Lado brasileiro de Itaipu também poderá ser reserva de biosfera da Unesco
  79. Simplificar para melhorar (e muito): a urgente Reforma Tributária
  80. Fake news e controle na internet são desafios para as eleições de 2018
  81. Condições de vida são mais baixas em áreas longe dos centros
  82. Bichos de pelúcia substituem animais de laboratório em aulas na USP
  83. IBGE: 50 milhões de brasileiros vivem na linha de pobreza
  84. Em 2015 sete municípios respondiam por 25% do PIB do país, mostra IBGE
  85. País ainda precisa avançar no combate ao racismo
  86. Com política eficiente, país pode reverter prazo para cumprir objetivos estipulados pela ONU
  87. 70 anos da maior descoberta arqueológica bíblica: Manuscritos do Mar Morto
  88. Bitcoin passa de US$ 13 mil e vira 'desejo de consumo'
  89. Pesquisa do IBGE mostra trabalho "invisível" feito em 2016 no país
  90. Divórcio demorou a chegar no Brasil
  91. Prédios públicos ficam vermelhos contra a aids
  92. Estudo resgata a história do Movimento do Custo de Vida
  93. Anabolizantes comprometem funcionalidade do “colesterol bom”
  94. Presença de árvores reduz casos de câncer de pulmão em idosos
  95. Proximidade do verão aciona alerta para desastres naturais
  96. Nova lei regula situação de estrangeiros no país
  97. SP e Prefeitura de Humaitá atendem ribeirinhos no Amazonas
  98. O desaparecimento de pessoas é um problema grave, que atinge milhares de famílias no Brasil
  99. Alimentos e cosméticos podem ter alerta sobre substância cancerígena_02
  100. OIT diz que há mais de 70 milhões de jovens desempregados no mundo
Mais Lidas