Contato: (11) 3043-4171

Preservar a Constituição e unir sociedade são prioridades de Bolsonaro

Ao longo da campanha e depois de promulgado o resultado do segundo turno, o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) e seus principais assessores reiteraram suas prioridades, a partir da posse em 1º janeiro de 2019

Preservar temporario

Foto: Fernando Frazão/ABr

Eleitores de Bolsonaro comemoram vitória, na Barra da Tijuca.

Ele afirmou que sustentará seu governo na preservação da Constituição Federal e dos valores, assim como na unidade da população. Bolsonaro disse que se inspira no ex-primeiro ministro britânico Winston Churchill, referência em estratégia política e militar ao unir o povo do Reino Unido durante a Segunda Guerra Mundial.

Nas redes sociais e em entrevistas exclusivas concedidas, o presidente eleito citou propostas específicas para educação, saúde, segurança pública, comércio exterior, política externa, cotas, programas sociais e eventuais mudanças no sistema tributário. Religioso, Bolsonaro pediu ao senador Magno Malta (PR-ES) para fazer uma oração, após confirmada sua vitória nas eleições. Na bênção, Malta ressaltou a importância da união entre as pessoas de todos os credos, citou evangélicos, católicos, espíritas e seguidores das demais religiões.

A seguir, alguns dos temas já mencionados pelo presidente eleito e integrantes de sua equipe de governo.

Constituição - Bolsonaro prometeu trabalhar pela pacificação do país. "Vamos pacificar o Brasil e, sob a Constituição e as leis, construir uma grande nação." Na transmissão ao vivo, nas redes sociais, ele fez questão de mostrar que estava com a Constituição Federal nas mãos, assim como com um livro sobre os pensamentos de Winston Churchill.

Liberdade de escolha – Defende a liberdade de escolha, “desde que não interfira em aspectos essenciais da vida do próximo”. Segundo ele, essa liberdade deve alcançar escolhas afetivas, políticas, econômicas e espirituais. Também afirmou que uma nação mais fraterna e com menos excluídos é mais forte.

reuters-ricardo moraes1 temporario

Foto: NA10

Jair Bolsonaro e sua esposa Michelle.

Democracia – Classificado por setores progressistas como com um discurso de viés autoritário, negou essa tendência por meio do general da reserva Augusto Heleno, indicado para o Ministério da Defesa. O militar disse que a democracia nunca esteve ameaçada. Segundo ele, acusar o presidente eleito de fascista é “uma campanha sórdida”, sem fundamento.

Segurança – Foi o ponto forte da campanha eleitoral. Tanto o presidente eleito quanto integrantes de sua equipe indicaram a preocupação com o combate à violência de forma mais ostensiva, o rigor nas prisões e no tratamento dos condenados. Ele é contrário à progressão de penas e às saídas temporárias de presos em datas especiais, os chamados saidões.

Vítimas de violência - Em seu programa de governo, disse que a política de direitos humanos será redirecionada com prioridade para a defesa das vítimas da violência.

Estatuto do Desarmamento e maioridade penal – Bolsonaro defende o direito de as pessoas terem armas para usar em “legítima defesa”. Também é favorável à redução da maioridade penal para 16 anos ou 17 anos.

Programas sociais - O presidente eleito pretende instituir uma renda mínima para todas as famílias brasileiras, com valor acima do benefício pago pelo programa Bolsa Família. Também propõe adotar o pagamento do décimo terceiro em dezembro para os beneficiários do Bolsa Família.

Nova Carteira de Trabalho – Será criada a "carteira verde e amarela", voltada ao jovem quando ingressar no mercado de trabalho. Por essa carteira, o contrato individual de trabalho teria prevalência sobre a CLT, mas sem violar dispositivos trabalhistas previstos na Constituição.

Enxugar o Estado – Afirmou que pretende reduzir a máquina administrativa. No caso dos ministérios, diminuir de 29 para 15 o número de pastas a partir de fusões de alguns setores. Ainda não há confirmação sobre essas fusões. “O governo dará um passo atrás, reduzindo sua estrutura e cortando privilégios, para que a sociedade dê muitos passos à frente."

Política externa - O Ministério das Relações Exteriores precisa estar a serviço de valores e dos interesses do povo brasileiro, não necessariamente com viés ideológico. Durante a campanha, fez elogios ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que no domingo (28) o parabenizou. "O Brasil deixará de estar apartado das nações desenvolvidas", afirmou.

Comércio exterior – É fundamental incentivar o comércio exterior com países que possam agregar valor econômico e tecnológico ao Brasil, como os Estados Unidos. No âmbito regional, ele prevê o aprofundamento da integração “com todos os irmãos latino-americanos que estejam livres de ditadura”.

Mercosul – O bloco econômico do Cone Sul, que reúne Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela (temporariamente suspensa), deve ser valorizada por Bolsonaro que diz que não se pode “jogar para o alto” o acordo. Após sua eleição, ele conversou com os presidentes eleitos da região, que o parabenizaram.

Cotas – O presidente eleito propõe a adoção de cotas sociais a partir da renda das pessoas e não por outros critérios. Segundo ele, as políticas afirmativas, da forma como são aplicadas atualmente no país, levam ao reforço do preconceito.

c8955f71-5325-42b3-ac2e-0b62b5b72b7e temporario

Foto: Outras Palavras

Paulo Guedes, futuro ministro da economia, com o presidente eleito, Jair Bolsonaro.

Cesare Battisti – O ativista italiano, de 63 anos, foi condenado à prisão perpétua na Itália por homicídio e vive livre no Brasil. Segundo o deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS), indicado para a Casa Civil no futuro governo, um dos primeiros atos de governo será sua extradição para o país de origem.

Privatização - Uma das principais propostas é a privatização ou extinção de estatais. A ideia é reduzir o pagamento de juros, que custaram R$ 400,8 bilhões em 2017, com a venda de ativos públicos. Em relação à reforma da Previdência, ele defende a implantação de um modelo privado de capitalização do setor.

Sistema tributário – No programa de governo, Bolsonaro menciona unificar impostos e simplificar o sistema de arrecadação de tributos. Disse que pretende reduzir de forma gradativa os impostos, por meio da eliminação e unificação de tributos, "paralelamente ao espaço criado por controle de gastos e programas de desburocratização e privatização".

Imposto de Renda - O assessor econômico de Bolsonaro, Paulo Guedes, indicado como futuro ministro da Economia, disse a investidores que a intenção é criar uma alíquota única de 20% no Imposto de Renda, que passaria a incidir sobre quem ganha acima de cinco salários mínimos.

Saúde pública – A equipe do presidente eleito indicou que pretende adotar o chamado Prontuário Eletrônico Nacional Interligado em postos, ambulatórios e hospitais, para reduzir os custos ao facilitar o atendimento futuro por outros médicos em diferentes unidades de saúde, além de permitir a cobrança de maior desempenho dos gestores locais.

Mais Médicos - No plano de governo, ele cita que todos os profissionais estrangeiros interessados em ingressar no programa podem migrar para o Brasil, desde que aprovados no Revalida. Também há a proposta de credenciamento universal de médicos e instituição de carreira de Estado.

Educação básica, ensino infantil ao médio – São apontadas como áreas de prioridade no plano de governo. Ele defende a educação a distância para o ensino fundamental como alternativa "para as áreas rurais onde as grandes distâncias dificultam ou impedem aulas presenciais”.

Ensino superior - Para o ensino superior, Bolsonaro diz que as universidades precisam gerar avanços técnicos ao Brasil, por meio de parcerias e pesquisas com a iniciativa privada.

Conteúdo e método – Propõe que conteúdo e método de ensino “precisam ser mudados. Mais matemática, ciências e português, sem doutrinação e sexualização precoce”. Ele pretende resgatar a disciplina Educação Moral e Cívica e Organização Social e Política Brasileira nas escolas.

Pesquisa e inovação - O modelo de pesquisa e inovação no Brasil está “esgotado”. Em vez de os recursos do setor serem organizados por Brasília, defende o fomento de “hubs” tecnológicos, nos quais universidades se aliam à iniciativa privada “para transformar ideias em produtos”.

Mestrado e doutorado - Os programas de mestrado e doutorado deverão ser feitos “sempre perto das empresas”. Propõe investimento na exploração de energia renovável solar e eólica no Nordeste e pesquisa e desenvolvimento em grafeno e nióbio.

Áreas verdes - O presidente eleito afirmou, em algumas ocasiões, que pode flexibilizar a legislação que regula a exploração econômica de áreas verdes preservadas, inclusive na Amazônia, e propõe a revisão da concessão de novos territórios para indígenas e quilombolas.

Agricultura - Na área de agricultura, a proposta é atender às demandas de “segurança no campo; solução para a questão agrária; logística de transporte e armazenamento; uma só porta para atender às demandas do agro e do setor rural; políticas especificas para consolidar e abrir novos mercados externos e diversificação”.

Mais artigos...

  1. Negros e brancos de alta renda moram em locais distantes e distintos
  2. Antes da Eletrobras, Brasil vivia rotina de apagões
  3. A água no Brasil: da abundância à escassez
  4. Alimentação está na pauta do novo Congresso
  5. Geração nem-nem já soma 11 milhões de jovens
  6. Projeto pretende retardar o envelhecimento do sistema imune humano
  7. Comida síria transporta imaginário de refugiados para lugar que não existe mais
  8. ONU: nenhum país consegue garantir direitos reprodutivos das mulheres
  9. Estudo destaca estreita relação entre álcool, drogas e violência
  10. Brasil avança, mas tem desafio para cumprir meta de emissão de carbono
  11. Apenas 3,3% dos estudantes brasileiros querem ser professores
  12. Na primeira eleição presidencial, Brasil teve eleitor de menos e candidato demais
  13. Oito em cada dez idosos têm percepção positiva da terceira idade
  14. Senado analisa aposentadoria especial para condutores de ambulância
  15. Metade das cidades do país ainda não dá voz aos idosos
  16. Prédio do Museu Nacional já preocupava Senado do Império
  17. Referência da história contemporânea, Constituição completa 30 anos
  18. Desemprego pauta candidatos e será desafio ao próximo presidente
  19. Em 15 anos, Estatuto do Idoso deu visibilidade ao envelhecimento
  20. 30 anos da Constituição: Principal símbolo do processo de redemocratização nacional
  21. Rebanho de bovinos e produção de leite caem, diz pesquisa do IBGE
  22. Cresce preocupação com desperdício de alimentos em todo o mundo
  23. Empresários brasileiros apostam em alimentos e bebidas saudáveis
  24. Secretário admite que pode fechar o ano sem elucidar caso Marielle
  25. Futuro presidente terá de enfrentar financiamento do SUS
  26. Apesar de aumento, menos de 40% das cidades têm política de saneamento
  27. Metade das mulheres férteis em SP usaram pílula do dia seguinte
  28. Animais criados livres no Pampa fornecem carne mais saudável
  29. Primeiro transhomem a ser operado no Brasil, João Nery prepara livro
  30. Avança o Indicador de inadimplência do consumidor; país tem 62,9 milhões de negativados
  31. Filtro colorido aumenta velocidade de leitura de crianças com dislexia
  32. Manual ensina a cuidar da saúde bucal de crianças com autismo
  33. Iniciativas do Judiciário combatem e reparam violência contra a mulher
  34. Epidemia de gripe espanhola no Brasil mata presidente, faz escolas aprovarem todos os alunos e leva à criação da caipirinha
  35. Reforma tornou ensino profissional obrigatório em 1971
  36. Museu do Ipiranga questiona os sentidos da independência
  37. Governo vai liberar recursos emergenciais para o Museu Nacional no Rio
  38. Alunos deixam ensino fundamental com desempenho pior do que entraram
  39. Câmara discute propostas polêmicas sobre orgânicos e agrotóxicos
  40. Especialistas apontam epidemia de cesarianas no Brasil
  41. Foco de instabilidade, impacto migratório é desafio em Pacaraima
  42. Há 55 anos, Senado ajudou a derrubar parlamentarismo
  43. Especialistas debatem soluções tecnológicas para ajudar o agronegócio
  44. Denúncias de feminicídio e tentativas de assassinato chegam a 10 mil
  45. Merenda escolar é vigiada no país por 80 mil “detetives”
  46. Dos 27,4 mil registros de candidaturas, 8,4 mil são de mulheres
  47. Jogadores contam histórias do preconceito enfrentado na Europa_2
  48. Subutilização da força de trabalho atinge 27,6 milhões no Brasil
  49. Ofensiva contra o lixo: país se engaja em debate sobre a coleta seletiva
  50. Seis em cada dez crianças no Brasil vivem na pobreza, diz Unicef
  51. Manifestações afros são incorporadas à cultura sem valorização dos negros
  52. Ruy Barbosa desafiou elite e fez 1a campanha eleitoral moderna
  53. Sarampo: especialista alerta sobre a importância da vacinação
  54. Casos de suicídio motivam debate sobre saúde mental nas universidades
  55. Mortes de presos aumentam 10 vezes em quase vinte anos no Rio
  56. Petróleo, combustíveis e Refis reforçam receitas da União este ano
  57. Mulheres que fizeram aborto relatam momentos de medo e desespero
  58. Supremo Tribunal Federal debate hoje a descriminalização do aborto
  59. 44% dos empresários do varejo e de serviços estão otimistas com economia para o segundo semestre
  60. Ecossistemas tropicais abrigam mais de três quartos das espécies de plantas e animais
  61. Metade dos docentes no país não recomenda a própria profissão
  62. Projeto cria regras para proteger dados pessoais
  63. Censo mostra aumento da área destinada à agricultura no país
  64. População brasileira deve chegar a 233,2 milhões em 2047, diz IBGE
  65. Construtoras acreditam em multa maior por distrato; Procons condenam
  66. Museu Paulista e Sesc Ipiranga apresentam “Papéis Efêmeros”
  67. Radiografia do ativismo indica revitalização do papel político das cidades
  68. Canecão foi referência para música brasileira e revelou grandes nomes
  69. Saúde alerta que as baixas coberturas vacinais acendem a luz vermelha
  70. Em minoria, mulheres buscam liderar negócios de inovação e tecnologia
  71. Lei de proteção de dados vai mudar cotidiano de cidadãos e empresas
  72. Estudo destaca papel central da música nos ritos de incorporação da Umbanda
  73. Cientistas vão treinar robôs para identificação automática de plantas
  74. Combate a Lampião quase entrou na Constituição de 1934
  75. Estudo aponta 30 profissões que estão surgindo com a indústria 4.0
  76. Na era Trump, imigrantes buscam espaço na política dos Estados Unidos
  77. Acompanhar tramitação de lei ainda é desafio
  78. O maravilhoso universo das plantas e a força dos nutrientes
  79. Junho deixou sementes de participação popular
  80. Número de brasileiros em áreas de risco passa de 8 milhões, diz IBGE
  81. Vida verde: benefícios do vegetarianismo e veganismo à saúde atraem cada vez mais brasileiros
  82. Uso de energia solar no campo cresce com usinas flutuantes
  83. Vinho é a bebida alcoólica preferida dos brasileiros na melhor idade, aponta pesquisa
  84. Músicos amadores criam grupos para reviver antigos sambas esquecidos
  85. Projetos buscam evitar tragédias como o desabamento de edifício em São Paulo
  86. Quilombo a 50 km de Brasília luta para manter território e identidade
  87. Lei Seca soma dados positivos após 10 anos, mas levanta questões
  88. Junho aumenta riscos de acidente com fogos e balões
  89. Dom Pedro I criou Supremo Tribunal com poderes esvaziados
  90. "Sem solução, quem matou terá carta branca", diz pai de Marielle
  91. Livro sobre intelectuais negros põe em xeque ideia de democracia racial no país
  92. Carro elétrico ainda espera incentivos para crescer no Brasil
  93. Cora Coralina é inspiração para artesãs e doceiras na Cidade de Goiás
  94. Ascensão e queda de José Bonifácio, o 'Patriarca da Independência'
  95. Brasil perdeu mais de 430 mil empregos na construção entre 2015 e 2016
  96. Desmatamento e ocupação desordenada ameaçam conservação do Cerrado
  97. Poluição sonora prejudica a saúde e preocupa especialistas
  98. Senado deve aprovar incentivo para combater cartéis
  99. Cade propõe medidas para reduzir preços dos combustíveis
  100. O Brasil ocupa o oitavo lugar no ranking de número de tabagistas no mundo

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171