Contato: (11) 3043-4171

BC: taxa do rotativo do cartão de crédito cai para 218,3% ao ano
O rotativo é o crédito tomado pelo consumidor quando paga menos que o valor integral da fatura do cartão.


A taxa de juros do rotativo do cartão de crédito para quem paga pelo menos o valor mínimo da fatura em dia continuou a cair, em novembro

A taxa chegou a 218,3% ao ano no mês passado, com redução de 2,8 pontos percentuais em relação a outubro, de acordo com dados do Banco Central (BC). Já a taxa cobrada dos consumidores que não pagaram ou atrasaram o pagamento mínimo da fatura caiu 3,2 pontos indo para 410,4% ao ano, em agosto. Com isso, a taxa média da modalidade de crédito ficou em 333,8% ao ano, com queda de 4,2 ponto percentual em relação a outubro.
O rotativo é o crédito tomado pelo consumidor quando paga menos que o valor integral da fatura do cartão. Desde abril, os consumidores que não conseguem pagar integralmente a fatura do cartão de crédito só podem ficar no crédito rotativo por 30 dias. A taxa do crédito parcelado subiu 1,5 ponto percentual para 168,5% ao ano, em novembro.
A taxa de juros do cheque especial ficou estável em 323,7% ao ano, em novembro em relação a outubro. A taxa média de juros para as famílias caiu 1,4 ponto percentual para 58,1% ao ano, no mês passado. No caso das empresas, a taxa foi reduzida em 0,4 ponto percentual para 22,9% ao ano. A inadimplência do crédito, considerados atrasos acima de 90 dias, para pessoas físicas, ficou em 5,4 %, com redução de 0,2 ponto percentual em relação a outubro.
No caso das pessoas jurídicas, a inadimplência caiu 0,1 ponto percentual para 5,1%. Os dados são do crédito livre em que os bancos têm autonomia para aplicar dinheiro captado no mercado. No caso do crédito direcionado, os juros para as pessoas físicas caiu 0,5 ponto percentual indo para 8% ao ano. A taxa cobrada das empresas caiu 0,3 ponto percentual para 11,4 % ao ano. A inadimplência caiu 0,1 ponto percentual tanto para famílias como para as empresas, ficando em 2% e 1,5 %, respectivamente. O saldo de todas as operações de crédito concedido pelos bancos ficou em R$ 3,063 trilhões, com aumento de 0,4%, no mês. Em 12 meses, houve retração de 1,3%. Em relação ao PIB, o volume correspondeu a 47%, com aumento de 0,1 ponto percentual em relação a outubro (ABr).

OMS pode considerar vício em vídeogames um transtorno mental

O rotativo é o crédito tomado pelo consumidor quando paga menos que o valor integral da fatura do cartão.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou que o vício em vídeogames poderá ser reconhecido como um transtorno mental a partir de 2018, ano em que será divulgada a próxima edição da Classificação Internacional das Doenças (CID). Na lista de doenças, que ainda está sendo preparada, o vício em vídeogames deverá entrar na categoria “distúrbios devido a um comportamento dependente”, o mesmo, por exemplo, de quem aposta de forma compulsiva.
“Os profissionais de saúde devem reconhecer que o vício em vídeogames pode ter sérias consequências para a saúde. Mesmo que a maioria das pessoas que joga videogame não tem esse problema, em algumas circunstâncias, o abuso pode levar a efeitos adversos”, explicou o líder do Departamento de Saúde Mental e Abuso de Substâncias da OMS, Vladimir Poznyak. Se o vício em vídeogames entrar na próxima edição da CID, será a primeira vez que a OMS incluirá uma dependência “tecnológica” na lista de doenças.
Para verificar se a pessoa é uma viciada em vídeogames, os médicos deverão prestar atenção em alguns sintomas. Um deles, é quando o paciente dá prioridade aos videogames “até o ponto em que o jogo prevalece sobre os outros interesses da vida”. Segundo a OMS, se o transtorno for aceito na lista, o diagnóstico e o tratamento da “doença” poderá ser facilitado.Além disso, a publicação pode incentivar as agências de saúde a investigarem o tema (ANSA).

Desastres deram prejuízo de US$ 306 bilhões este ano

Furacões, terremotos e grandes incêndios foram as principais catástrofes naturais em 2017. Com isso, a empresa de seguros Swiss Re fez um cálculo e estimou que a perda econômica com estes desastres naturais foram de mais de US$ 306 bilhões neste ano. A quantia é muito superior ao de 2016, quando a empresa registrou US$ 188 bilhões em danos ocasionados por fenômenos naturais.
Somente nos Estados Unidos, a destruíção ocasionada pelos furacões Harvey, Irma e Maria é estimada em US$ 93 bilhões. Já os incêndios que assolam a Califórnia deram mais de US$ 7 bilhões de prejuízos. O levantamento é feito desde 1970 e o prejuízo de 2017 só fica atrás do ano de 2011, quando foram contabilizados mais de US$ 400 bilhões de danos econômicos ocasionados por desastres naturais (ANSA).

Professor da FGV faz alerta sobre Bitcoins: “risco de bolhas”

O professor e coordenador do MBA em Marketing Digital da FGV, André Miceli, aconselha os novos investidores a avaliar bem os riscos antes de decidir aplicar o dinheiro em criptomoedas. De acordo com ele, há possibilidade de formação de bolhas. “Hoje a garimpagem das criptomoedas Bitcoin está consumindo mais eletricidade do que alguns países da Europa. Em 2020, pode ser o equivalente ao que o nosso planeta todo consumiu neste ano. Outro problema é o tempo de transação. Geralmente leva-se 10 minutos. Isso inviabiliza um processo de pagamento de curto prazo”.
André diz que a ascensão de outras moedas digitais com fins específicos deve se acelerar. Elas vão “encontrar os seus caminhos” no mercado e suas precificações. “A Bitcoin, junto as outras duas mais famosas, a Litecon e a Ethereum, está muito valorizada. Aliado a isso, a ressalva dos bancos centrais dos Estados Unidos e do Brasil vão fazer com que as Bitcoins desvalorizem ou diminuam muito o seu ritmo de crescimento”, ressalta.
Ressalta, no entanto, que pode ser um bom negócio entrar no mercado de moedas digitais. Lembra porém, que o investidor tem que saber que é um negócio especulativo. “O valor da Bitcoin é aquilo que as pessoas acreditam que vale, mais ou menos como eram com as Tulipas, que resultaram na primeira grande bolha. Além disso, muitas pessoas, que não entendem nada do assunto, estão investindo. Lembro que, para alguns ganharem, outros têm que perder. Assim é o mercado”, alerta (FGV).

Polícia Rodoviária Federal quer reduzir acidentes nas estradas

Não há no Brasil uma estimativa de quantos jovens sejam viciados em games.

Para intensificar a fiscalização nas estradas federais de todo o país no feriado prolongado de fim de ano, a Polícia Rodoviária Federal (PFR) realiza em todo o país a Operação Integrada Rodovida. A meta é reduzir os acidentes nas estradas federais. A operação priorizará ações integradas e simultâneas, envolvendo agências de fiscalização “com atuação coordenada visando somar forças no enfrentamento à violência no trânsito e na redução dos custos sociais decorrentes”.
A operação seguirá até 18 de fevereiro e abrangerá o período das férias escolares, festas de Natal, Ano Novo e Carnaval, feriados marcados pelo aumento no fluxo de veículos e de passageiros.
Na última operação Rodovida, entre 16 de dezembro de 2016 e 31 de janeiro de 2017, e de 17 de fevereiro de 2017 a 5 de março de 2017, foram fiscalizadas no país mais de um milhão e meio de pessoas, o que resultou em 588.067 autuações, sendo 8.551 de alcoolemia, 66.774 ultrapassagens irregulares e 4.783 de falta de uso de cadeirinha. A fiscalização sobre o excesso de velocidade resultou em 521.877 flagrantes de motoristas (ABr).

ONU aprova novas sanções contra Coreia do Norte

Por unanimidade, o Conselho de Segurança das Nações Unidas (ONU) aprovou na sexta-feira (22) novas sanções contra a Coreia do Norte por causa de seu programa nuclear e balístico. As medidas incluem um limite às importações de petróleo refinado pelo país asiático e obrigam todos os norte-coreanos que trabalham em expedições marítimas a voltar para casa dentro de 12 meses.
No entanto, o texto não prevê ações ainda mais duras que eram buscadas pelos Estados Unidos, como a proibição total à importação de petróleo e o congelamento de todos os ativos internacionais do governo norte-coreano e de seu líder, Kim Jong-un.
Segundo Pyongyang, o projétil seria capaz de atingir "todo o território" dos EUA. "A Coreia do Norte é o mais trágico exemplo do mal no mundo. Quanto mais ela nos desafiar, mais nós a puniremos", declarou a embaixadora norte-americana na ONU, Nikki Haley (ANSA).

Governo reduz para 60 anos idade para saque do PIS/Pasep

O presidente Michel Temer anunciou que o governo vai reeditar a Medida Provisória (MP) para liberar o saque do abono salarial PIS/Pasep para pessoas a partir de 60 anos. O presidente explicou que a reedição da MP só pode ocorrer após o fim do ano legislativo.
“Na terça-feira (26) ou quarta-feira (27) nós estamos habilitados a reeditar essa Medida Provisória, já reduzindo a idade para 60 anos. Não mais 65 anos [para homens], 62 anos [para mulheres], mas 60 anos para todos”, disse o presidente em café da manhã com jornalistas na sexta-feira (22), no Palácio do Planalto. De acordo com o presidente, a estimativa é de que os saques superem os R$ 12 milhões, valor estimado quando foi editada a MP anterior“.
Tem direito aos recursos do abono o trabalhador do setor público ou privado que tenha contribuído para o PIS ou Pasep até 4 de outubro de 1988 e que não tenha feito o resgate total do saldo do fundo. A Caixa, responsável pelo PIS, e o Banco do Brasil, administrador do Pasep, fazem esse pagamento de acordo com um calendário anual (ABr).

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171