Cresce o número de brasileiros que optam por estudar em Portugal

Em Portugal, já são 28 universidades e institutos que aceitam a nota do Enem.

Portugal vem atraindo, cada vez mais, brasileiros que pretendem estudar no exterior

Marieta Cazarré/Agência Brasil

Em 2017, no estado de São Paulo, o número de brasileiros que solicitaram visto para estudar no país aumentou 35%, em comparação a 2016. Os brasileiros já representam cerca de 30% dos estrangeiros nas universidades portuguesas. Os dados são do Consulado Geral de Portugal em São Paulo.
Um dos motivos que contribui para esse aumento é que Portugal e o Brasil, desde 2014, vêm firmando uma série de convênios para que a nota do Enem seja considerada para ingresso em instituições de ensino superior portuguesas. Já são 28 universidades e institutos que aceitam a nota do Enem. De acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística de Portugal (INE), os estudantes estrangeiros são atualmente cerca de 30 mil. No ano letivo 2015/2016,o número total de alunos do ensino superior foi de 356,4 mil estudantes, sendo que 83,6% estavam matriculados em instituições públicas e 16,4%, em privadas.
O número de brasileros que frequentam cursos do ensino superior no país aumentou significativamente nos últimos anos, passando de cerca de 2 mil em 2006, para quase 9 mil em 2013. De acordo com estudo feito pelo INE, “assistiu-se a um aumento considerável de alunos de nacionalidade brasileira, o que poderá ser explicado, por um lado, pela concessão de bolsas e de apoio financeiro por parte do governo brasileiro após 2007 e, por outro, pelo aumento significativo de imigrantes brasileiros no país (que passaram de 23.541 em 2001 para 105.622 em 2012). O fato poderá ter contribuído igualmente para aumentar o contingente desses cidadãos no ensino superior português”.
A estudante brasileira Francine Rodrigues Maia, 23 anos, é uma das jovens que optaram por atravessar o Atlântico para estudar em Portugal. Francine abandonou o curso de Direito no Brasil para se dedicar ao Enem e aos planos de estudar fora. Atualmente ela cursa Línguas, Literaturas e Culturas na Universidade de Lisboa.
“Além de a universidade oferecer muitos programas que auxiliam os estudantes, tanto o Erasmus quanto outras bolsas, há oportunidades de emprego. Tenho muito contato com outras culturas e pessoas, aprendo muita coisa, aprendo sobre línguas. A desvantagem é que o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras demora para entregar os documentos e isso atrapalha. E é um pouco difícil alugar apartamento sendo brasileiro, porque eles preferem alugar para os portugueses”, explica Francine. Para ela, outras vantagens são a segurança e a oportunidade de seguir carreira no exterior. “Meu curso demora três anos. Eu quero seguir carreira por aqui ou prestar o Erasmus e migrar, para poder passar um semestre em outra universidade” (ABr).

Ataque em Burkina Faso deixa pelo menos 30 mortos

Pessoas fogem de centro da cidade, onde aconteceu ataque em Uagadugu.

Pelo menos 30 pessoas morreram e 50 ficaram feridas na sexta-feira (2), durante vários ataques na capital do Burkina Faso, Ouagadougou, na África, informaram as autoridades locais. Os atos de violência foram registrados em três lugares distintos: a residência do primeiro-ministro do país; do escritório da ONU e um quartel militar do Exército. Além disso, a primeira explosão foi seguida de um tiroteio em uma zona junto à embaixada francesa no Burkina Faso.
Cerca de quatro homens não identificados desceram do carro e atiraram contra a embaixada francesa gritando “Allahu Akbar” (Alá é grande), segundo informações do diretor Jean Bosco Kienou. O embaixador francês, Jean-Marc Chataigner, comentou sobre o caso afirmando que a explosão teria sido provocada por um “ataque terrorista”. Alguns tiros ainda atingiram a Câmara Municipal, deixando o gabinete de Armand Beouinde com os vidros estilhaçados.
Após o ataque, o Palácio do Eliseu informou que o presidente Emmanuel Macron, foi informado sobre a situação, aconselhando os cidadãos a se protegerem. “Os quatro atacantes foram mortos” e a “situação está sob controle”, disse uma fonte francesa local sobre o ocorrido. Burkina Faso vem sendo alvo já a algum tempo por parte de grupos extremistas islâmicos que operam na região de Sahel. No ano passado, 30 pessoas foram mortas em um hotel na cidade de Ouagadougou, e outras 18 mortas por um atentado dentro de um restaurante. Ataques foram reivindicados pela Al Qaeda do Magrebe (ANSA).

Frio intenso na Europa já acumula mais de 50 mortos

A onda de frio siberiana que atinge a Europa nesta semana voltou a causar transtornos na sexta-feira (2), e já acumula um saldo de mais de 50 mortos. Na Emília-Romana, norte da Itália, diversas estradas foram fechadas por causa de fortes chuvas de granizo, enquanto a Ligúria, no noroeste, registrou interrupções em linhas de trem que ficaram congeladas. A rodovia que conecta Milão e Bolonha também chegou a ter o tráfego interrompido.
Na Polônia, foram registradas 21 mortes ao longo da semana por causa do frio intenso: os termômetros chegam a marcar 20 graus abaixo de zero em algumas cidades. A maioria das vítimas é de moradores de rua surpreendidos pelas fortes nevascas. Outras sete pessoas morreram na Eslováquia; seis, na República Tcheca; três, na Espanha; cinco, na Lituânia; quatro, na França; duas, na Sérvia, Itália, Eslovênia e Romênia; e uma; no Reino Unido.
Em Paris, foram abertas mais de 3 mil vagas de abrigo temporário para moradores de rua. A capital francesa chegou a ter sensação térmica de 18 graus negativos (ANSA).

Já coletados mais de 93% dos dados do Censo Agropecuário

O IBGE já completou 93,6% da coleta de dados do 11º Censo Agropecuário Brasileiro. Já foram colhidas informações de 4,9 milhões de estabelecimentos, dos 5,2 milhões estimados. Segundo o presidente do instituto, Roberto Olinto, com esse nível de coleta de dados a meta da pesquisa já foi atingida. Portanto, a divulgação dos dados do censo está mantido para o mês de julho.
De acordo com Olinto, a coleta ainda permanece em algumas regiões de difícil acesso e naquelas onde as chuvas prejudicaram a tarefa dos recenseadores. Apesar disso, os técnicos já estão trabalhando sobre os dados coletados. Caso se verifique inconsistência nas informações, alguns locais poderão ser revisitados.
Os primeiros resultados do Censo Agropecuário vão mostrar o perfil do produtor rural por sexo, idade, cor ou raça, alfabetização e escolaridade, utilização das terras, efetivos da pecuária, produção animal e vegetal, a forma de obtenção das terras, as práticas agrícolas utilizadas no estabelecimento, entre outros. O último censo foi realizado em 2006 (ABr).

FBI investiga negócios internacionais de Ivanka Trump

Filha de Trump pode perder acesso a arquivos ‘top secret’.

Um dos negócios internacionais da filha do presidente norte-americano Donald Trump, Ivanka, está sendo investigado pelo FBI, informou na sexta-feira (2) a emissora de televisão “CNN”. O alvo das investigações do FBI seriam as negociações e o financiamento de projetos como o “Trump International Hotel”, em Vancouver, no Canadá. A construção foi aberta um mês após o pai de Ivanka entrar para a Casa Branca.
Este procedimento de investigação das autoridades norte-americanas contra membros importantes da Casa Branca é comum, e serve para descobrir se algum deles possuem ligações internacionais. Como Ivanka é a principal conselheira de Trump, o resultado da investigação pode ter impacto em sua posição dentro da Casa Branca, já que ela poderá não ter mais acesso a informações relevantes de Estado.
Os negócios fora dos Estados Unidos do marido de Ivanka, Jared Kuschner, também foram investigados. Em resultado, ele perdeu alguns privilégios que tinha dentro da Casa Branca. A construção da luxuosa Trump Tower, de 63 andares, em Vancouver, custou cerca de US$ 360 milhões, e Ivanka teve papel fundamental no projeto, financiado pela empresa canadense “Holborn Group”, liderado pelo magnata malaio Joo Kim Tiah. Entre os investidores do hotel, 10% eram estrangeiros,e segundo o jornal “Vancouver Sun”, um deles tinha vínculos com o governo chinês (ANSA).

Lei simplifica documentação para renegociar dívidas com a União

O presidente do Congresso Nacional, senador Eunício Oliveira, promulgou a MP que dispensa os estados e municípios de uma série de exigências para renegociar suas dívidas com a União. O texto foi votado pela Câmara e aprovado pelo Senado, último dia antes de perder o prazo de vigência, graças a um acordo entre de lideranças, que se sensibilizaram com a situação financeira difícil de alguns entes federados.
A justificativa do governo ao editar a MP foi de que, mesmo com as novas condições previstas nas leis que possibilitaram a renegociação, os estados não estavam conseguindo refinanciar seus débitos por causa da documentação exigida. A MP permitiu a adesão desses estados. Com o novo texto, não será mais necessário demonstrar regularidade no FGTS, no cumprimento das regras relativas ao funcionamento dos regimes próprios de Previdência e no comprometimento máximo da receita corrente líquida com despesas relativas às parcerias público-privadas.
Também será dispensada a apresentação de certidões de regularidade do Cadin; do pagamento de tributos federais da Dívida Ativa da União, além do cumprimento de obrigações determinadas nas leis da época da renegociação (Ag.Senado).

 
 

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP