Lava Jato investiga contrato de US$ 825 milhões da Petrobras

Lava temporario

A pedido do MPF-PR, foi deflagrada ontem (8) a 51ª fase da Operação Lava Jato

Chamada de ‘Operação Deja Vu’, essa fase de investigações apura crimes de corrupção e lavagem de dinheiro em um contrato de US$ 825 milhões, envolvendo a área internacional da Petrobras, para a prestação de serviços de segurança, meio ambiente e saúde. Segundo o MPF, um dos três operadores financeiros investigados é ligado ao MDB.
A Polícia Federal informou que cerca de 80 policiais cumpriram 23 ordens judiciais nos estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo e São Paulo. Foram quatro mandados de prisão preventiva, dois mandados de prisão temporária e 17 mandados de busca e apreensão. A expectativa é que, por meio desses mandatos, se consiga obter provas da prática dos crimes de corrupção, associação criminosa, fraudes em contratações públicas, crimes contra o Sistema Financeiro Nacional e de lavagem de dinheiro, dentre outros delitos.
Há mandados de prisão contra três ex-funcionários da Petrobras e três operadores financeiros. “Um deles, um agente que se apresentava como intermediário de valores destinados a políticos vinculados ao então PMDB”, informou, por meio de nota, o MPF, sem detalhar quem seria esse intermediário. As investigações apontaram “pagamento de propina que se estendeu de 2010 até pelo menos o ano de 2012, e superou o montante de US$ 56,5 milhões, equivalentes, atualmente, a aproximadamente R$ 200 milhões”.
Segundo os investigadores, o contrato previa a prestação de serviços de “reabilitação, construção e montagem, diagnóstico e remediação ambiental, elaboração de estudo, diagnóstico e levantamentos nas áreas de segurança, meio ambiente e saúde (SMS) para a estatal, em nove países, além do Brasil”. Há, de acordo com os procuradores, provas apontando que esse contrato foi direcionado à empreiteira no âmbito interno da estatal. “No contexto de promessa e efetivo pagamento de vantagem indevida, os elementos probatórios indicam dois núcleos de recebimento: funcionários da estatal e agentes que se apresentavam como intermediários de políticos vinculados ao então PMDB”, diz a nota do MPF (ABr).

Cerco ‘se fecha’ contra assassinos de Marielle

Cerco temporario

Após participar ontem (8), no Rio, de reunião com o chefe da Divisão de Homicídios, Fábio Carsoso, e membros da Comissão Externa da Câmara que acompanha as investigações do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ), o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) disse que o cerco contra os assassinos está se fechando.
De acordo com o deputado, Cardoso não deu prazo para a conclusão do inquérito, que já dura quase dois meses, mas disse que está otimista. “Ele afirmou que a sociedade tem que ter paciência, porque homicídio, de fato, exige uma investigação mais rigorosa. Mas ele já tem informação suficiente para cruzar os dados e chegar aos assassinos”, disse o deputado.
“Já descartaram várias linhas de investigação e o cerco aos criminosos está se fechando. Não só sobre os executores como também em relação aos mandantes”. Ainda de acordo com Wyllys, o delegado afirmou que os executores são bem treinados. Mas não informou se são agentes do Estado. “Não são pessoas quaisquer e não são baratas”, disse o deputado.
O delegado confirmou que a arma usada no crime foi uma submetralhadora. Além disso, de acordo com o deputado, a falta do exame de raio-X no corpo de Marielle – devido ao equipamento do Instituto Médico-Legal (IML) estar quebrado – não prejudicou as investigações.
O parlamentar ressaltou que a comissão continuará cobrando a conclusão do inquérito. Uma delegação do Parlamento do Mercosul chega hoje (9) ao Brasil para se reunir com os investigadores e o interventor federal na segurança do Rio, o general Walter Braga Netto.
Também participaram da reunião de ontem com o delegado os deputados federais Glauber Braga (PSOL-RJ) e Alessandro Molon (PSB-RJ) (ABr).

Barbosa desiste de concorrer à Presidência

Barbosa temporario

O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa anunciou, ontem (8), que não será candidato à Presidência da República.
“Está decidido. Após várias semanas de muita reflexão, finalmente cheguei a uma conclusão. Não pretendo ser candidato”, escreveu em seu Twitter.
De acordo com ele, que é filiado ao Partido Socialista Brasileiro (PSB), sua decisão é “estritamente pessoal”. Apesar de nunca ter concorrido a cargos eletivos, Barbosa era cotado para se candidatar desde 2012, quando foi relator do caso do Mensalão no Supremo. Em abril, o ex-ministro se filiou ao PSB e, desde então, o partido vinha estruturando uma campanha em torno do ex-presidente do STF.
Seu nome oscilava entre 8% e 10% nas últimas pesquisas de intenção de voto do Datafolha (ANSA).

Mulheres Sauditas vão poder dirigir a partir de junho

Mulheres temporario

O Departamento Geral de Trânsito da Arábia Saudita determinou ontem (8) que as mulheres poderão dirigir no país a partir do dia 24 de junho deste ano. “Todos os requisitos foram estabelecidos para que as mulheres, possam começar a dirigir no Reino”, disse Mohammed Al- Basami, diretor da agência, vinculada ao ministério do Interior.
Segundo Al- Basami, o decreto real entrará em vigor no dia 24 de junho e autoriza as mulheres com idade a partir de 18 anos a passarem por testes para obter a carteira de motorista. A iniciativa a favor da classe feminina foi emitida em setembro de 2017, como parte de uma política . Desde então, várias escolas de condução foram abertas em cinco cidades.
Na Arábia Saudita, a restrição de liberdade às mulheres é grande. O país é comandado por uma vertente ultraconservadora do Islã. Contudo, medidas recentes propostas pelo príncipe herdeiro Mohammad bin Salman visam a estabelecer reformas sociais e econômicas na região (ANSA).

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP