ISSN: 2595-8410 Contato: (11) 3043-4171

Fome cresce na América do Sul impulsionada pela Venezuela, diz ONU

A fome cresceu no ano passado na América Latina e Caribe, afetando cerca de 39 milhões de pessoas por conta da desaceleração econômica na América do sul, marcada especialmente pelo caso da Venezuela, explicou nesta terça-feira a ONU.

Fome temproario

Na região, a prevalência de desnutrição subiu, em termos absolutos, de 19,3 milhões de habitantes para 21,4 milhões. Foto: Ernesto Arias/EFE

As últimas estimativas do relatório sobre o estado de segurança alimentar e nutricional no mundo, publicado a cada dois anos, revelam uma deterioração da situação em nível regional, onde o número de pessoas que sofrem com a fome passou de 38,9 milhões em 2016 para 39,3 milhões em 2017 (6,1% da população).

Embora o nível de fome seja relativamente baixo em comparação com outras regiões, esse aumento na América Latina é explicado, principalmente, pela desaceleração econômica na América do Sul, afirmou o diretor de Estatística da FAO, José Rosero. Nesta região, a prevalência de desnutrição (ou falta crônica de nutrientes) subiu de 4,7% da população em 2014 para 5% projetada para 2017 ou, em termos absolutos, de 19,3 milhões de habitantes para 21,4 milhões.

Durante o mesmo período, essa taxa diminuiu no Caribe, afetando 16,5% da população no ano passado (7 milhões de pessoas com fome) e seis décimos na América Central, até 6,2% (11 milhões). O relatório indica que a tendência de alta na América do Sul pode ser o resultado da persistência dos preços baixos para a maioria dos produtos básicos exportados, especialmente o petróleo. Isso reduziu a capacidade de importar alimentos, investir na economia por parte dos governos e proteger as pessoas mais vulneráveis diante da redução das receitas fiscais.

"A desaceleração econômica é observada na América do sul, o que é explicado especialmente pela situação na Venezuela", disse Rosero, afirmando que no país sul-americano, a taxa média de desnutrição foi de 11,7% da população entre 2015 e 2017 (3,7 milhões de venezuelanos no total), quase quatro vezes mais que no triênio 2010-2012. Em toda a região, as maiores porcentagens de fome nos últimos três anos foram no Haiti (45,8% de sua população, equivalente a 5 milhões de pessoas), Bolívia (19,8% da população, 2,2 milhões) e Nicarágua (16,2% da população, 1 milhão) - (Agência EFE).

Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE

Brasil temproario

O Brasil passou de um investimento equivalente a 0,4% do PIB para o equivalente a 0,7% em 2015 em creches e pré-escolas. Foto: Omar Matsumoto/PSBC

Agência Brasil

Nos últimos anos, o Brasil aumentou os investimentos em educação infantil até os 5 anos de idade, e ficou à frente de países latino-americanos, de acordo com o relatório Education at a Glance 2018 (Um olhar sobre a educação, em tradução livre), publicado ontem (11) pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).
O montante gasto por criança, no entanto, ainda é pouco e está entre os mais baixos dos países analisados.

Segundo o relatório, o Brasil passou de um investimento equivalente a 0,4% do PIB para o equivalente a 0,7% em 2015 em creches e pré-escolas. O nível de investimento está abaixo da média dos 35 países que compõem a OCDE, que é 0,8% do PIB, mas está acima de países da América Latina, como Argentina, Colômbia, Costa Rica e México. Apesar disso, o Brasil investe apenas US$ 3,8 mil por criança por ano nas creches públicas, um dos mais baixos investimentos, tanto entre os países membros da OCDE, maioria formada por países ricos, quanto entre as economias parceiras.

Em termos de inclusão, o Brasil também está à frente de países latinos. Segundo o estudo, 22% das crianças de até 3 anos estão na escola. Dados mais atualizados, do IBGE, mostram que essa porcentagem chegou a 30,4% em 2015. O índice brasileiro é maior que outros países como Argentina (5%); Chile (20%); Costa Rica (2%) e México (2%). A única exceção é a Colômbia, que incluiu 49% das crianças nas creches. Na pré-escola, de acordo com o relatório, o acesso no Brasil é maior, chega aos 90% aos 4 anos de idade, 97% aos 5 anos e 100% aos 6 anos.

Se na infância o Brasil supera países latino- americanos em inclusão, o mesmo não ocorre na medida em que a idade avança. O país registrou uma das maiores porcentagens de adultos sem ensino médio entre todos os países analisados. Após os 14 anos, as taxas de educação vão caindo. Entre 15 e 19 anos, 69% seguem estudando e, entre 20 e 24 anos, apenas 29%. Em média, essas porcentagens chegam, entre os países da OCDE, a 85% e 42%, respectivamente. Cerca de 14% dos alunos do último ano do ensino fundamental estão acima da idade pretendida de 14 anos. Entre os países da OCDE, em média apenas 2% dos estudantes estão nessa situação.

Rússia inicia maior exercício militar desde a Guerra Fria

A Rússia iniciou ontem (11) seus maiores exercícios militares desde os tempos da Guerra Fria, com o objetivo de "garantir a segurança do país". A manobra, chamada "Vostok 2018", acontece nas regiões centrais e orientais da nação e envolve cerca de 300 mil soldados, além de 36 mil carros armados e veículos blindados, mil caças e helicópteros e navios das frotas do Norte e do Pacífico. A China também participa dos exercícios, com 3,2 mil militares e diversos meios bélicos. As atividades terminarão no dia 17.

Segundo o porta-voz do presidente Vladimir Putin, Dmitry Peskov, os exercícios estão em linha com os "esforços anuais de rotina para o desenvolvimento das Forças Armadas russas". A manobra acontece um ano depois de a Rússia ter realizado práticas militares na parte ocidental do país, aumentando a tensão com as ex-repúblicas soviéticas do Mar Báltico. Os exercícios de 2018 são acompanhados com atenção pela OTAN e por governos europeus, que buscam ver o que eles revelam sobre a cooperação militar entre Moscou e Pequim.

Também ontem, Putin recebeu o presidente da China, Xi Jinping, em Vladivostok, na Sibéria, durante o Fórum Econômico Oriental. "Falamos do desenvolvimento das relações russo-chinesas, abordando praticamente todas as áreas, como economia, social, laços humanitários e nossa cooperação técnico-militar", disse o mandatário russo (ANSA).

Cremona terá Festa do Salame em outubro

Cremona temproario

Será o segundo ano consecutivo do evento. Foto: iStock

A cidade de Cremona, na Itália, receberá a Festa Nacional do Salame entre os dias 26 e 28 de outubro. Será o segundo ano consecutivo do evento, que nasceu como uma resposta italiana ao "Salame Day", criado em 2006, na Virgínia, nos Estados Unidos, e que foi celebrada ontem (11). O festival, promovido pelo Consórcio de Tutela do Salame, promete degustações, desafios e o "primeiro salame lançado no espaço".

Os três dias de festa permitirão que produtos de diferentes tipos e regiões sejam experimentados. "O salame não é estrelas e listras [referência à bandeira dos EUA], mas tricolor [bandeira italiana]", enfatizou Fabio Tambani, presidente do consórcio. "Nosso país tem o dever de dignificar ao máximo o produto da charcutaria", acrescentou.
Além disso, o "salame astronauta", primeiro embutido a ser lançado ao espaço, também estará em Cremona.

O produto será embarcado em um dispositivo adequado que voará até a mesosfera e cairá na Terra depois de um voo transmitido na página oficial da Festa do Salame no Facebook. "Se consumido da maneira correta, o salame pode ser inserido perfeitamente em uma dieta equilibrada", explicou Giuliano Dallolio, professor de tecnologia de produtos alimentícios de origem animal da Universidade Católica. Segundo o docente, o salame não é um inimigo da saúde (ANSA).

Maradona é novo treinador de time mexicano

O ex-jogador Diego Armando Maradona embarcou em uma nova aventura na carreira: o ídolo argentino foi apresentado oficialmente como novo técnico do Dorados de Sinaloa, clube que disputa a segunda divisão do futebol mexicano. Maradona chegou ao país onde conquistou a Copa do Mundo de 1986 escoltado por policiais e acenou para os fãs que foram recepcioná-lo no aeroporto.

"Não vim de férias, vim para trabalhar. Estou aqui para dar meu coração, como fiz no Fujairah, onde dirigia 300 km por dia para trabalhar", assegurou. A missão da lenda do futebol argentino é difícil. O clube está na antepenúltima posição na Série B, com apenas três pontos nas seis primeiras rodadas. O próximo compromisso do Dorados - estreia de Maradona - será na segunda-feira (17), contra o Cafetaleros de Tapachula.

De acordo com a imprensa local, Maradona receberá cerca de US$ 150 mil, o segundo salário mais alto de um treinador do futebol mexicano, atrás somente do brasileiro Ricardo Ferretti, que ganha mais de US$ 300 mil para comandar a seleção interinamente e o Tigres. Os torcedores do Dorados o receberam de braços abertos, já que centenas de fãs acompanharam o primeiro treino do clube sob a supervisão do ex-craque.

Como técnico, Maradona ainda não teve o mesmo sucesso dos tempos de jogador. O argentino já comandou a seleção de seu país e o Al Wasl e o Al-Fujairah, ambos dos Emirados Árabes Unidos. Além disso, o ex-craque é presidente do Dínamo Brest, de Belarus. Já o Dorados, de apenas 15 anos de história, busca retornar à elite do futebol mexicano após duas temporadas. Entre os jogadores mais ilustres que passaram pelo clube estão Pep Guardiola, Jared Borgetti, Cuauhtémoc Blanco e Loco Abreu (ANSA).

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171