ISSN: 2595-8410 Contato: (11) 3043-4171

Primeiro cemitério ecumênico de São Paulo completa 160 anos

O Cemitério dos Protestantes, que pertence a  Acempro (Associação Cemitérios dos Protestantes) completa 160 anos e surgiu da necessidade de existir um local para sepultamento de não católicos.

Primeiro temproario

Túmulo do professor Júlio Frank, no pátio da Faculdade de Direito. Foto: JF Diorio/Estadão

Sua história começou quando, em 1841, faleceu o professor da Escola de Direito do Largo São Francisco, Julius Frank. De origem germânica e protestante, não seria possível sepultá-lo no interior ou no entorno das igrejas, onde eram enterrados os nobres, na época.
Por isso, os alunos, apoiados pelo Conselheiro Brotero, resolveram sepultá-lo no interior da Faculdade.

O desencadeamento deste episódio teve grande impacto nos estrangeiros que aqui residiam, tanto católicos quanto protestantes e, em 1844, cidadãos europeus mais liberais e tolerantes, tomaram a iniciativa de construir em um pequeno terreno, no Bairro da Luz, o Cemitério dos Estrangeiros. Após receber alguns poucos sepultamentos, o Cemitério dos Estrangeiros foi desativado pelo Município, porque o seu terreno seria utilizado para alargamento da Av. Tiradentes. Em contrapartida, a Municipalidade cedeu, no terreno anexo ao que fora destinado ao Cemitério da Consolação, na Rua Sergipe, uma área para os protestantes e outra para os católicos estrangeiros.

Nesta época, luteranos, anglicanos e presbiterianos organizaram-se e fundaram informalmente a Associação Cemitério dos Protestantes, com o intuito de implantar o novo campo santo, que veio a se chamar Cemitério dos Protestantes. Em 1858, o Cemitério dos Protestantes, assim como os demais cemitérios do complexo da Consolação, projetados pelo engenheiro alemão, Carlos Frederico José Rath, recebeu os primeiros sepultamentos. Atualmente, é tombado pelo Condephat por sua importância histórica. Lá estão sepultados alguns ilustres como Anita Malfatti, Charles Muller, Missionário Ashbel Green Simonton, Pastor José Manoel da Conceição, entre outros (Acempro).

Bebida afeta memória e causa desejo duradouro por álcool, diz estudo

Bebida temproario

Alguns copos de vinho podem prejudicar a memória durante dias. Foto: Patrick Seeger/EFE

Uma só dose de bebida alcoólica pode afetar a formação da memória durante horas e causar desejos de longa duração por álcool, segundo um estudo publicado pela revista especializada “Neuron”. Uma equipe da Universidade Brown em Rhode Island, nos Estados Unidos, determinou que uma mudança molecular poderia ajudar a explicar por que alguns copos de vinho podem prejudicar a memória durante dias e porque motivos os alcoólatras podem ter uma recaída depois de décadas de abstinência.

Em uma análise realizada com moscas, que apesar de ter apenas 10.000 neurônios – em relação aos 100 bilhões dos humanos – compartilham algumas caraterísticas básicas conosco, o grupo liderado pela professora Karla Kaun encontrou uma área do cérebro “essencial” para justificar esta perda de memória prolongada. “Todas as drogas – álcool, opiáceos, cocaína e metanfetamina – têm efeitos secundários adversos e fazem com que as pessoas tenham náuseas ou lhes causam ressaca, então por que nós as achamos tão gratificantes?”, perguntou Karla antes de começar o estudo.

Para resolver esta questão, Karla e a pesquisadora Emily Pertuccelli, da Universidade do Sul de Illinois, usaram ferramentas genéticas para desativar de maneira seletiva genes essenciais enquanto treinavam as moscas para que encontrassem álcool. Uma das proteínas responsáveis da preferência das moscas pelo álcool é a notch, que faz parte de uma via de sinalização envolvida no desenvolvimento de embriões, e no desenvolvimento e na função cerebral adulta em humanos e em todos os animais. As pesquisadoras descobriram que a notch ativa um gene chamado receptor de tipo dopamina-2, que produz uma proteína nos neurônios que reconhece a dopamina, neurotransmissor que faz “se sentir bem”.

“Sabe-se que um receptor similar à dopamina-2 está envolvido na codificação de se uma memória é agradável ou aversiva”, disse Emily, explicando que o álcool “sequestra” esta via de memória conservada para formar desejos. Karla comentou que se este mecanismo funciona da mesma maneira em humanos, “um copo de vinho é suficiente para ativar o caminho, mas se volta à normalidade em uma hora”. No entanto, depois de três copos, com um intervalo de uma hora, o caminho “só volta à normalidade depois de 24 horas” (Agência EFE).

Pequenos empresários estão cautelosos para investir

O empresariado dos setores de comércio e serviços ainda está cauteloso para realizar investimentos neste fim de ano. Dados apurados pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostram que mais da metade (54%) dos micro e pequenos empresários não vai investir nos próximos três meses.

Na escala, o Indicador de Demanda por Investimento ficou em 38,5 pontos no mês passado. Índice muito próximo do patamar registrado em junho (38,3 pontos), quando houve impacto da paralisação dos caminhoneiros. Pela metodologia, quanto mais próximo de 100, maior a propensão para o investimento. Quanto mais próximo de zero, menor a propensão.

Na avaliação do presidente da CNDL, José César da Costa, a intenção de investimento por parte dos micro e pequenos empresários ainda é tímida porque permanece um clima de incertezas diante das eleições. “Espera-se que com a definição do cenário eleitoral, os empresários tenham maior previsibilidade em relação aos rumos do país e possam, assim, colocar em práticas seus projetos, retirando a economia desse compasso de espera” (CNDL/SPC).

Trump promete combater 'violência política'

Trump temproario

Presidente Trump elogiou prisão de suspeito de enviar bombas. Foto: EPA

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que não deixará a violência política "tomar conta" do país. Em discurso para lideranças jovens negras em Washington, o magnata republicano elogiou as forças de segurança pela prisão de um suspeito acusado de enviar 12 bombas para personalidades ligadas ao Partido Democrata e pediu "união". "Não podemos deixar a violência política tomar conta da América, e estou comprometido a fazer tudo o que estiver em meu poder para parar isso", declarou Trump.

Em seguida, ele disse que os EUA devem 'mostrar ao mundo que estão unidos em paz e harmonia'. "Não há nenhum país como o nosso, e todos os dias estamos mostrando o quão grande nós somos", acrescentou. Entre os destinatários dos pacotes explosivos estão o ex-presidente Barack Obama, a ex-secretária da Estado Hillary Clinton, o ex-vice-presidente Joe Biden e o bilionário George Soros, financiador do Partido Democrata.

O suspeito de ter enviado as bombas foi capturado em Plantation, perto de Fort Lauderdale, na Flórida. Segundo a imprensa norte-americana, ele é um homem branco de 56 anos chamado Cesar Sayoc. Em seu furgão foram encontradas imagens de Trump e uma bandeira dos EUA. As ameaças terroristas chegam às vésperas das eleições legislativas de meio de mandato, quando democratas e republicanos brigarão pelo controle do Congresso, hoje nas mãos dos conservadores (ANSA).

MEC muda regras para diplomas de graduação

Agência Brasil

O Ministério da Educação (MEC), estabeleceu novas regras para expedição e registro de diplomas de graduação. Agora, as faculdades e universidades terão que publicar no Diário Oficial da União informações sobre os diplomas registrados e manter informações detalhadas para consulta pública nos próprios sites. De acordo com o MEC, o objetivo é reduzir o risco de fraudes e conferir maior segurança nos procedimentos internos das instituições de educação superior.

As instituições terão um prazo de 180 dias para se adequar às novas regras. Entre as mudanças está a exigência de um termo de responsabilidade a ser assinado pelas instituições de educação superior e prazos para a expedição e o registro dos diplomas. As instituições também deverão cancelar diplomas irregulares quando detectarem vícios nos procedimentos de expedição e registro e dar publicidade dos diplomas cancelados.

Outra alteração é que o verso do diploma deverá trazer a identificação da mantenedora da instituição de educação superior. A expedição e o registro da primeira via do diploma, do histórico escolar final e do certificado de conclusão de curso seguem gratuitos.

Morre último sobrevivente de tragédia nazista em Roma

Lello Di Segni, o último italiano sobrevivente da deportação ao campo de concentração de Auschwitz, ocorrida em 16 de outubro de 1943, morreu na noite da última quinta-feira (25), informou a Comunidade judaica de Roma. Nascido em 4 de novembro de 1926, Di Segni foi um entre os 1024 judeus presos em Roma.

Na ocasião a "cidade eterna" foi testemunha da primeira deportação de judeus do país, uma tragédia que permanece na memória coletiva de Roma pois restaram apenas 16 sobreviventes dos que foram detidos e levados aos campos de extermínio nazista da Europa.

"Sua perda, além de ser uma dor para a nossa comunidade, é infelizmente um sinal de atenção e um aviso para as gerações futuras. Com ele não terá a memória histórica daqueles que sofreram o ataque em 16 de outubro e voltou para contar o conto" , disse Ruth Dureghello, presidente da Comunidade (ANSA).

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171