Vulnerabilidade social no Brasil cai 27% em dez anos

O Índice de Vulnerabilidade Social indica a ausência ou insuficiência de recursos ou estruturas (como fluxo de renda, condições adequadas de moradia e acesso a serviços de educação).

O Índice de Vulnerabilidade Social brasileiro caiu 27% no período de 2000 a 2010, fazendo com que o país passasse da faixa de alta vulnerabilidade social para a faixa de média vulnerabilidade social

Os dados foram divulgados pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). De acordo com a publicação Atlas da Vulnerabilidade Social nos Municípios Brasileiros, o número de cidades com alta ou muito alta vulnerabilidade social caiu de 3.610 no ano 2000 para 1.981 em 2010. Já o de municípios com baixa ou muito baixa vulnerabilidade social passou de 638 para 2.326 no mesmo período. A vulnerabilidade social à que o índice se refere indica a ausência ou insuficiência de recursos ou estruturas (como fluxo de renda, condições adequadas de moradia e acesso a serviços de educação) que deveriam estar à disposição de todo cidadão.
A melhora, segundo o levantamento, foi mais nítida em alguns estados das regiões Centro-Oeste (como a faixa de fronteira de Mato Grosso do Sul), Norte (especialmente no Tocantins) e Nordeste (com destaque para o sul da Bahia, Ceará, Rio Grande do Norte e leste de Pernambuco). O Ipea ressaltou, entretanto, que o quadro de disparidades regionais no país permanece, com concentração de municípios na faixa de muito alta vulnerabilidade social no Norte (Acre, Amazonas, Pará, Amapá e Rondônia) e no Nordeste (principalmente no Maranhão, em Alagoas e em Pernambuco, além de porções do território baiano).
“Num país desigual como o nosso, a gente não derrotou o problema da vulnerabilidade social estrutural. Os avanços são substantivos. Não há como o Brasil se desenvolver e ser um país minimamente mais justo se as políticas sociais não tiverem continuidade”, explicou o diretor de Estudos e Políticas Regionais, Urbanas e Ambientais do Ipea, Marco Aurélio Costa. O aspecto que mais influenciou a redução do índice de vulnerabilidade social no país é o que engloba renda e trabalho. Todos os indicadores que envolvem insegurança de renda e precariedade nas relações de trabalho tiveram melhora entre 2000 e 2010, refletindo, de acordo com o estudo, a redução da informalidade, do trabalho infantil e o aumento da ocupação.
“O Brasil fez um esforço de políticas sociais muito grandes. Esse esforço deu resultados e é importante manter as políticas sociais para que a gente continue a avançar e se torne uma sociedade menos injusta e menos desigual”, concluiu o diretor do Ipea (ABr).

Imigrantes voltam a protestar em estação de Budapeste

Imigrantes sacodem seus bilhetes de trem após serem retirados de estação ferroviária em Budapeste.

Milhares de imigrantes voltaram a se reunir ontem (1º) na praça situada em frente à principal estação de trem de Budapeste, capital da Hungria. Com gritos de “Liberdade!” e “Alemanha!”, eles tentam embarcar para outros países da União Europeia, como Áustria e a própria Alemanha. No entanto, a polícia húngara não deixa o grupo acessar as plataformas do local. Mais cedo, tumultos haviam provocado o fechamento da estação por cerca de uma hora, afetando a circulação de trens por todo o país.
Em discurso no Parlamento, o vice-primeiro-ministro da Hungria, János Lázár, culpou a chanceler alemã, Angela Merkel, pelo caos em Budapeste. Recentemente, ela deu declarações afirmando que seu governo não pretende mandar de volta os sírios que chegarem à nação. “Não vejo nenhuma co-responsabilidade”, rebateu a líder, após receber o premier da Espanha, Mariano Rajoy, em Berlim. Fugindo da guerra civil que atinge o país árabe há mais de quatro anos, esses imigrantes entram na Europa pela Grécia, através da Turquia. Lá, alcançam a fronteira da Macedônia, onde pegam trens superlotados para a Sérvia. Na nação balcânica, seguem rumo à Hungria, onde acessam de novo a UE.
Desde o início de 2015, Budapeste já recebeu 156 mil solicitantes de refúgio, incluindo 45 mil sírios, segundo dados do seu Ministério do Interior. Para tentar conter a entrada em massa de clandestinos, o governo húngaro enviou mais de 3 mil militares para a fronteira com a Sérvia. De acordo com a Organização Internacional para as Migrações (OIM), mais de 350 mil imigrantes já atravessaram o mar Mediterrâneo para chegar à Europa em 2015, e outros 2.643, pelo menos, morreram no mar. Apenas a Grécia recebeu mais de 230 mil clandestinos, e quase 115 mil desembarcaram na Itália. O restante se divide entre Espanha e Malta (ANSA).

Sydney é eleita cidade mais amigável do mundo

A cidade de Sydney, na Austrália, foi eleita a mais amigável do mundo, de acordo com um ranking elaborado pela revista de turismo de luxo “Condè Nast Traveler”. Além do tratamento cordial dos seus habitantes, o município também encanta pelas suas atrações turísticas. Escalar a Harbour Bridge, com uma vista panorâmica impressionante da baía, fazer longos e divertidos passeios de barco e conhecer a famosa Opera House são só alguns exemplos do que se pode fazer na joia australiana.
A classificação da revista ainda teve Dublin, na Irlanda; Queenstown, na Nova Zelândia; Cracóvia, na Polônia; e Bruges, na Bélgica, como os municípios com os habitantes mais amigáveis do planeta. Já Melbourne, também na Austrália, que ano passado liderava o pódio, não aparece nem no top 10. Mesmo assim, a cidade ainda conta com seu charme, além de ter sido escolhida como o melhor município para se viver em 2015 pela publicação “The Economist”. No entanto, para os leitores, as cidades menos cordiais são a de Caracas, na Venezuela, que conseguiu a pior posição, seguida por Casablanca, no Marrocos, e Guangzhou, na China (ANSA).

Imagem mais nítida do bóson de Higgs

Os cientistas do Conselho Europeu de Pesquisa Nuclear (Cern) conseguiram obter a imagem mais nítida e mais precisa do bóson de Higgs, a “partícula de deus”, informou a entidade. A descoberta permitiu que fosse entendido como a partícula consegue obter massa e confirmou a aplicação do modelo Standard. O resultado foi obtido recolhendo os dados dos experimentos feitos pelo Atlas e pelo CMS desde 2012.
Os dois grupos, que chegaram a competir para ver quem descobriria a partícula primeiro, atualmente trabalham juntos para entender os resultados obtidos através do Grande Colisor de Hádrons (LHC, na sigla em inglês). O esforço coletivo de cerca de duas mil pessoas permitiu com que, em maio deste ano, fosse definida a medida mais precisa da massa do bóson de Higgs. Os novos dados descrevem como a partícula interaje com seu meio.
“Combinar os dados dos dois experimentos permitiu um altíssimo nível de precisão para atingir um objetivo que teria demorado mais dois anos de trabalho”, destacou o diretor-geral do Cern, Rolf Heuer. Já o responsável pelo experimento da CMS, Tiziano Camporesi, informou que “combinar os dados foi um trabalho enorme, no qual foram analisados 4,2 mil parâmetros”. O presidente do Instituto de Física Nuclear (INFN), Antonio Masiero, ressaltou que unir “os dados dos dois experimentos parece fácil, mas não é porque cada um desses itens obtidos revelou dados diversos e com diferentes graus de precisão” (ANSA).

Durante Jubileu da Misericórdia, padres podem perdoar o aborto

Papa: “o perdão de Deus a quem se arrependeu não pode ser negado”.

O papa Francisco pediu a todos os padres para que, durante o Jubileu da Misericórdia (de 8 de dezembro de 2015 a 20 de novembro de 2016), perdoem os católicos que abortaram ou provocaram aborto, desde que haja arrependimento. Em mensagem dirigida ao organizador do “Ano Santo” (ou jubileu), o prelado italiano Rino Fischella, o papa declara ter “decidido, não obstante qualquer disposição em contrário, conceder a todos os padres, para o ano do jubileu, a capacidade de absolverem do pecado do aborto todos aqueles que o provocaram e que, de coração arrependido, peçam perdão”.
Também em relação às mulheres que abortaram, “o perdão de Deus a quem se arrependeu não pode ser negado”. “O drama do aborto é vivido por alguns com uma consciência superficial, que parece não se dar conta do grave dano do ato, mas muitos outros, ao contrário, ainda que vivam esse momento como um fracasso, consideram não ter outras vias a recorrer”, diz Francisco em carta, adiantando pensar “em todas as mulheres que recorreram ao aborto”.
“Conheço bem os condicionalismos que as conduziram a esta decisão. Sei que se trata de um drama existencial e moral. Encontrei muitas mulheres que levavam, em seu coração, a cicatriz desta escolha difícil e dolorosa. O que ocorreu é profundamente injusto”, insistiu. Na carta, o papa indica diversas situações para que o perdão dos pecados (permitido durante o jubileu) beneficie o maior número de pessoas, tais como doentes ou presos que não podem se deslocar às catedrais ou igrejas para se arrependerem (Ag. Lusa).

Alckmin inicia obras da primeira PPP de Habitação Social

O governador Geraldo Alckmin participou ontem (1°) do início das obras da primeira Parceria Público-Privada de Habitação Social do Brasil, na Rua São Caetano, nº 629, no Bom Retiro. No local, serão construídas 126 unidades habitacionais de interesse social do programa pela empresa Canopus Holding, vencedora da concorrência internacional para o lote 1. O evento torna o projeto inovador da PPP da Habitação no centro expandido da capital em realidade.
“Nós estamos iniciando a construção do primeiro conjunto de prédios da PPP da Habitação aqui do centro expandido. Trata-se da primeira PPP de habitação de interesse social do Brasil”, declarou Alckmin. “É habitação para famílias de menor renda, que não têm seu teto, sua moradia. É um grande programa de requalificação urbana porque vamos trazer as pessoas de volta para morarem no Centro, mais próximas ao emprego”.
A PPP da Habitação propõe a requalificação urbana e econômica, com inclusão social. A proposta tem por objetivo promover a melhoria da qualidade de vida dos trabalhadores do centro da cidade, mediante a oferta de moradias próximas aos seus locais de trabalho e dotadas de toda a infraestrutura de equipamentos urbanos. A iniciativa também contribui para recuperar áreas degradadas. O programa é inovador e contempla como diretriz o incentivo de usos mistos: habitação, comércio, serviços, equipamentos públicos e melhoria de áreas livres (Governo SP).

 
 
 
 
 
Mais Lidas