ISSN: 2595-8410 Contato: (11) 3043-4171

Estados Unidos e Cuba reabriram embaixadas

Prédio da Embaixada dos EUA em Havana.

Estados Unidos e Cuba reabriram ontem (20) embaixadas em Havana e Washington, reatando relações diplomáticas sete meses após o início de histórico processo de reaproximação, após de 54 anos de distanciamento

O restabelecimento oficial das relações diplomáticas entre os dois países, após mais de meio século de tensões herdadas da Guerra Fria, marca o fim da primeira fase desse processo iniciado a 17 de dezembro de 2014.
O presidente cubano, Raúl Castro, insiste em só normalizar as relações quando o presidente norte-americano, Barack Obama, utilizar seus “poderes executivos” para pôr fim ao embargo imposto à ilha em 1962. Além disso, o chefe de Estado cubano exige também que os Estados Unidos devolvam o território “ilegalmente ocupado” da base naval de Guantanamo.
Outra das exigências de Havana para a normalização de relações com Washington é que acabe com as “transmissões de rádio e televisão ilegais”, elimine programas para promover a “subversão e a desestabilização internas” e compense o país “pelos danos humanos e económicos” que as políticas norte-americanas causaram. As relações diplomáticas entre os dois países estavam suspensas desde 1961, após uma decisão do presidente norte-americano John F. Kennedy, em resposta a uma aproximação dos revolucionários cubanos à ex-União Soviética e ao confisco de bens norte-americanos.
A reabertura de embaixadas segue-se ao anúncio histórico, em dezembro, de uma reaproximação entre esses dois países, após mais de cinco décadas de hostilidade e desconfiança. No final de maio, Washington levantou o principal obstáculo ao reatamento de relações diplomáticas ao retirar Cuba da lista negra norte-americana de Estados que apoiam o terrorismo (ABr).

Saúde envia milhões de torpedos para doação de sangue

O Estado de São Paulo é responsável por 25% do sangue coletado no país. São mais de 850 mil bolsas por ano.

A Secretaria de Estado da Saúde está usando sete milhões de mensagens de SMS para incentivar a população a doar sangue e, assim, garantir os estoques de bolsas nos hospitais públicos durante o período de inverno. A campanha começou ontem (20), em parceria com o Instituto Embratel Claro. Até sexta-feira (24), serão enviadas, diariamente, cerca de 1,4 milhão de torpedos aos usuários da operadora em todo o Estado para conscientizá-los sobre a importância da doação de sangue e convocá-los a colaborarem com o aumento dos estoques.
O Estado de São Paulo é responsável por 25% do sangue coletado no país. São mais de 850 mil bolsas por ano, e, segundo a Hemorrede da Secretaria, nos meses de junho e julho, as doações caem cerca de 30%. Cerca de 20 mil bolsas deixam de ser coletadas nesta época. “A grande incidência de doenças respiratórias, as férias escolares e o tempo frio são motivos que fazem com que a doação de sangue diminua, porém neste período ela é fundamental para evitar a queda nos estoques”, diz Dante Langhi, coordenador da Hemorrede estadual.
Para doar sangue basta apresentar boas condições de saúde, estar alimentado (porém evitar a ingestão de comida gordurosa nas 4 horas que antecedam a doação e bebidas alcoólicas 12 horas antes da coleta), ter entre 16 e 67 anos, pesar no mínimo 50 kg e levar documento de identidade original com foto. A relação de pontos de coleta do Estado e outras informações sobre o assunto estão disponíveis no site (www.saude.sp.gov.br/doesangue) (SES).

Cientista cria ‘fórmula do voo perfeito’ para viajantes

De acordo com o estudo, a fórmula (M+S-76)P/100=? é a conta perfeita para descobrir se seu voo será bom ou não.

Horário de partida, espaço para as pernas e, sobretudo, pontualidade na partida. Esses são os três fatores chaves que farão com que uma viagem seja melhor, mais bonita e bem organizada segundo um cálculo matemático desenvolvido pela cientista Eugenia Cheng, da Universidade de Sheffield.
De acordo com o estudo, a fórmula (M+S-76)P/100=? é a conta perfeita para descobrir se seu voo será bom ou não. As letras representam os três fatores: M = momento, S = espaço e P = pontualidade. O cálculo foi baseado em 2,5 mil respostas de viajantes internacionais sobre as suas próprias preferências de voos e permite calcular um índice de perfeição em uma escala de 0 a 64.
Para se ter uma ideia, as viagens em classe econômica atingem 46 pontos. O “momento” do deslocamento é o mais importante para os entrevistados, sendo que 44% deles diz que o horário de partida é o que mais incide na escolha da passagem. Para a maioria (52%), o melhor momento é a manhã enquanto 27% escolhem viajar no início da noite. Para refletir o peso dessa preferência, foi atribuída uma pontuação de 40 para voos matutinos, 20 para noturnos e 12 para a tarde.
Já no quesito “espaço para as pernas”, dois terços dos viajantes (61%) disseram que ele é o principal componente para um trajeto satisfatório. O cálculo, portanto, penaliza cada voo que ofereça um espaço entre assentos com dimensão inferiores a distância padrão da classe econômica (76,2cm). Para 38% das pessoas entrevistadas, a “pontualidade” do voo é fator determinante para a satisfação. Um ranking divulgado pela Flightstats.com, que monitora todos os voos do mundo, mostram que as companhias aéreas KLM, SAS, Iberia, Lufthansa, Air Berlin e Easyjet têm entre 90,6% e 85% de suas viagens aterrissando no horário previsto.
Com base nos resultados, a “viagem perfeita” é um voo pela manhã, com um espaço para pernas de 100 centímetros e um índice de pontualidade próximo a 100 (ANSA).

Reformas na Fifa serão comandadas por autoridade independente

O presidente da Fifa, Joseph Blatter

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, anunciou ontem (20), após reunião da executiva da Fifa em Zurique, que as reformas na entidade serão coordenadas por uma força-tarefa composta por 11 membros, a ser comandada por um líder independente, cujo nome será anunciado nos próximos dias. A força-tarefa começa a trabalhar, imediatamente, para apresentar uma proposta concreta de reformas no próximo encontro ordinário da Fifa, em Zurique, nos dias 24 e 25 de setembro. A proposta será submetida à aprovação do congresso extraordinário em 26 de fevereiro, quando também será feita a eleição para a escolha do próximo presidente da entidade.
Entre as mudanças a serem promovidas estão a checagem mais rigorosa da integridade dos membros do comitê executivo, além de prazo limite para os mandatos. Na reunião, também foi dada a largada para o processo eleitoral, com a instalação de um comitê eleitoral que terá seu primeiro encontro no dia 21 de julho. Os candidatos que pretendem participar da eleição para a presidência da Fifa terão que apresentar a intenção por escrito até 25 de outubro.
O presidente da Uefa, Michel Platini, é um dos fortes candidatos à presidência, mas ainda não é certa sua participação na disputa. O príncipe da Jordânia, Ali Bin Al Hussein, que perdeu as eleições para Blatter em maio, deve concorrer novamente. O ex-jogador português Luis Figo, o diplomata francês Jerome Champagne e até o ícone do futebol brasileiro, o jogador Zico, manifestaram interesse em disputar a presidência da maior entidade do mundo do futebol (ABr/EBC).

Senador analisa crise e cita insatisfação da população

O senador Eduardo Amorim (PSC-SE) fez uma análise sobre a crise política e econômica que o Brasil vem enfrentando nos últimos meses e que tem deixado a população cada vez mais insatisfeita. “O país está passando por uma série crise administrativa, econômica, fiscal e, pior que tudo isso, política, ética e moral”, lamentou. Na sua opinião, o governo não consegue sair das cordas, tem sido incapaz de lidar com as mazelas, seja por inércia ou incapacidade de gestão e impõe sacrifícios ao povo brasileiro. “Há uma decepção da população, as promessas de um Brasil pujante, crescente, firme e em ascensão se transformaram em uma economia cambaleante, com desemprego e inflação”, lamentou.
Eduardo Amorim também condenou a contabilidade criativa e as “pedaladas fiscais” praticados pelo Executivo, o que levou o Tribunal de Contas da União a reprovar, pela primeira vez na história, as contas de um presidente da República. E comentou a permanente expectativa que a sociedade alimenta quanto ao futuro da Petrobras, uma das maiores empresas do país e vítima de um esquema que a dilapidou por anos a fio. O parlamentar defendeu a aprovação de uma reforma tributária (Ag.Senado).

Degradação do Rio São Francisco

O avanço da degradação do Rio São Francisco levou a Comissão de Meio Ambiente do Senado a definir como prioridade para este ano a avaliação da política de revitalização dessa bacia hidrográfica. O “rio da integração nacional”, que corta cinco estados das Regiões Sudeste e Nordeste, está “condenado à morte” pelo despejo de esgoto, assoreamento e destruição de mata ciliar, na opinião do presidente da comissão, Otto Alencar (PSD-BA).
Usando de prerrogativa de fiscalização que têm as comissões permanentes do Senado, a Comissão quer saber o que tem sido feito para revitalizar o Rio São Francisco, como pré-requisito para a transposição de suas águas. “Antes da transposição, tem que ter a revitalização. Senão, não vai ter água para a transposição. Ou então o próximo presidente da República vai colocar lá um epitáfio: “Aqui jaz o rio São Francisco” - afirma o parlamentar, que em diversas ocasiões chamou atenção para o problema (Ag.Senado).

 

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171