Geraldo Nunes, jornalista e memorialista,
integra a Academia Paulista de História.
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Lendas e Verdades sobre o Natal

Existe fato mais inusitado do que um menino nascido em uma manjedoura, entre os animais, presenteado por reis magos, ter modificado com suas ideias o rumo da história para se tornar o maior líder religioso do planeta?

nativity-1-560x321 temprorio

Cristo e o Natal são maravilhosos, conseguem abrir concessões até mesmo para os ateus, que nesta época do ano, acabam tendo que dar presentes a alguém. A festa do Natal continua sendo abrangente e calorosa, apesar de todo o stress que a envolve devido à correria das compras e à ostentação exagerada e anticristã de alguns.

Na origem as comemorações remontam aos tempos de rei Constantino, de Roma, que assumiu o cristianismo e escolheu o dia 25 de dezembro para comemorar o nascimento de Jesus, como forma de substituir a festa ao deus Mitra que anunciava o surgimento do sol em pleno inverno. O Natal dos cristãos foi oficializado no calendário da Igreja Católica pelo papa Julio I, cujo pontificado durou 15 anos, entre 337 e 352 d.C.

Conta o evangelho de São Lucas que um anjo anunciou a Maria que ela daria à luz um filho, mesmo sem ter coabitado com homem algum, e este seria o filho de Deus. Na véspera do nascimento, Maria e José viajaram de Nazaré a Belém e como não havia lugar em nenhuma estalagem tiveram que passar a noite num estábulo, entre bois e cabras, sendo ali mesmo que Jesus nasceu, sendo enrolado em panos e deitado sobre as palhas.

Magos Baltazar, Belchior e GasparAntes mesmo dele nascer, entretanto, já falavam de sua chegada tanto que os magos, Baltazar, Melchior e Gaspar se dirigiram a Belém para entregar presentes, sendo guiados por uma estrela. Quem disse a eles que ali nasceria o messias tão citado no velho testamento? Não se sabe.

Existem outros mistérios que envolvem o nascimento de Cristo, daí o surgimento de tantas lendas e tradições, alguma delas contidas também nos evangelhos apócrifos. Com a difusão do cristianismo e a implantação do catolicismo por Constantino, a tradição do Natal espalhou-se pela Europa. Diziam os antigos que um pinheiro, colocado dentro de casa por ocasião das festas, propiciaria fartura para o ano todo.

Diz a lenda que a primeira árvore de Natal foi montada na Alemanha, pelo costume ter surgido na Baviera, e o hábito de trocar presentes veio mesmo por influência dos magos que ofereceram ouro, incenso e mirra. “O primeiro presente evidencia a presença de um rei entre nós; o incenso é usado no sacrifício a Deus; a mirra, por fim, embalsama os corpos dos mortos”, disse o papa Bento XVI em uma de suas homilias, em 2010.

Já a figura do Papai Noel, que nada mais tem a ver com a Igreja, nasceu inspirada na figura de um santo católico chamado Nicolau, que costumava presentear as três filhas de um amigo dele muito pobre, todos os anos na época do Natal. Ao morrer, todos passaram a se referir à figura caridosa deste senhor que acabou canonizado. Nos Estados Unidos é chamado de Santa Claus; na Inglaterra, Father Christmas e em Portugal, Papai Natal.

As crianças chinesas não recebem presentes no Natal, mas durante as celebrações do ano novo chinês que acontece em janeiro. Elas também conhecem o Papai Noel, só que pelo nome de Dunche Lao Ren. As renas do Papai Noel possuem nomes: Dasher, Dancer, Prancer, Vixen, Comet, Cupid, Donder e Blitzen. Decorou? Sua casa é na Lapônia, norte da Finlândia.

papai-noel-no-treno-wallpaper temprorioJá o presépio que representa o nascimento de Jesus em pequenas estátuas, foi imaginado por São Francisco de Assis, em 1223. As velas que significam a boa vontade em relação ao Natal, no passado, eram colocadas nas janelas das casas. Os cartões de natal são mais recentes, de 1843, criados na Inglaterra por John Horsley que o ofereceu a um amigo, Henry Cole e este gostou tanto, que sugeriu fazer cartas rápidas para que todos felicitassem os familiares.

Desde a sua origem, o Natal é carregado de magia. Os ritos e cantigas surgiram por sugestão da Igreja como forma de teatralizar o nascimento de Cristo e assim evangelizar. As cenas foram ganhando modificações ao longo dos séculos sem perder o sentido da confraternização. Deste modo chegamos ao Natal que temos hoje.

Sendo assim, Feliz Natal!

(*) Geraldo Nunes, jornalista e memorialista, integra a Academia Paulista de História. (O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.).

Mais artigos...

  1. Alguém ainda duvida que Elvis não morreu?
  2. Greve Geral há cem anos traz reflexões sobre o momento atual
  3. Jânio Quadros volta a ser assunto na cidade após entrega dos “Arcos”
  4. Machado de Assis e os 178 anos de um texto que não envelhece
  5. Os 50 anos do disco mais emblemático dos Beatles
  6. Conheça os fatos que marcaram a fatídica noite de 23 de maio de 1932
  7. Os 80 anos da Rádio Bandeirantes e a democracia no Brasil
  8. São Paulo com suas ruas e bairros de nomes polêmicos
  9. São Paulo de Todos os Tempos e o sentido de respeito à cidade
  10. O fim da Rádio Estadão é só um pedaço da crise instalada na mídia
  11. Há 150 anos o trem chegava a São Paulo
  12. Bravo Maestro, ou Maestro Bravo?
  13. Belém ou Belenzinho? Eis a questão
  14. “Novos Cangaceiros” agem no interior do Nordeste como nos tempos de Virgulino Ferreira, o “Lampião”
  15. Memórias de um repórter aéreo no aniversário da cidade
  16. A estrela sobe
  17. Circulando de carro por uma São Paulo que não volta mais
  18. Um passeio na história paulistana para quem visita a Liberdade
  19. Os 50 anos do álbum Revolver e a curiosa história de Eleanor Rigby
  20. Na festa da Rádio Nacional preocupação e saudades
  21. Paralimpíadas prometem marcar história no Brasil
  22. Morre o policial criador do Museu do Crime
  23. A curiosa passagem de um cronista inglês pelo Brasil de 1927
  24. Postura do povo paulista em 32 é exemplo para nossos dias
  25. Narrações esportivas da Copa 50 são doadas ao Museu do Futebol
  26. Vamos falar da Mooca?
  27. Os reis do futebol
  28. Esculápios, Boticas e Misericórdias na Piratininga D’Outrora
  29. A magia da vida nas canções de Gal Costa
  30. Conheça a verdadeira história da Revolução Constitucionalista
  31. A Era do Rádio
  32. São Paulo mantém mas não preserva a lenda do DC-3
  33. Os 20 anos do Windows 95 e o museu brasileiro do computador
  34. 50 anos depois a Jovem Guarda já é vista com melhores olhos
  35. Estados Unidos reabrem embaixada com festa e desconfiança
  36. Constellation: uma viagem aérea e musical pelo Rio de Janeiro antigo
  37. Há 60 anos surgia a fábrica de sonhos de Walt Disney
  38. Da maioridade de Dom Pedro II aos dias atuais, o Brasil sempre foi um país de “pedaladas”
  39. Marisa Monte reconhecida entre as melhores da MPB
  40. Estatuto da Pessoa com Deficiência: agora começa luta para qualificar a mão de obra
  41. A verdadeira história da Revolução Constitucionalista
  42. Marreco jogou melhor no tricolor do que Pato e Ganso
  43. Maria Bethânia: quinta melhor voz da MPB em todos os tempos
  44. Você já foi chamado de “coxinha”?
  45. Descubra o que São Paulo perdeu visitando acervo digital
  46. Descubra o que São Paulo perdeu visitando acervo digital (2)
  47. Livro e exposição resgatam chegada do zepelim ao Brasil
  48. Arqueólogas descobrem no Rio caminho secreto de Dom Pedro I
  49. Mostra desvenda a figura do Morgado de Mateus
  50. Em novo livro Gilles Lapouge declara seu amor ao Brasil