Geraldo Nunes, jornalista e memorialista,
integra a Academia Paulista de História.
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

O Dia Mundial do Rádio e as confusões do carnaval

Buscou contato comigo, através do Facebook, o radialista e também jornalista Mohamed El Kamel, supervisor da Rádio Cairo Internacional, emissora oficial de governo do Egito e responsável pela apresentação dos programas da emissora em língua portuguesa, veiculados diariamente no Brasil em ondas curtas e pela internet, tratando de assuntos de interesse comum entre os dois países

Edgard Roquette Pinto, introdutor do Rádio no Brasil. Foi dele a ideia da primeira transmissão oficial no país acontecida em 7 de setembro de 1922.

Apesar de no Brasil o rádio em ondas curtas ter caído em desuso, especialmente nos grandes centros, regiões interioranas especialmente na Amazônia ainda dependem dele. Há também uma gama enorme de ouvintes aficionados, os chamados dexistas, que ouvem emissoras estrangeiras por diletantismo competindo entre eles para ver quem consegue obter o maior número de comprovações de audiência confirmadas por essas emissoras.

Além disso, no continente africano, onde está a Rádio Cairo, a internet ainda não se faz presente em todas as regiões o rádio segue sendo o mais importante veículo informativo das comunidades não apenas veiculando notícias, mas auxiliando os moradores com variada prestação de serviço. São vários os países de língua portuguesa na África, que assim como o Brasil, acompanham em horários diferentes a programação em português da Rádio Cairo. Além disso foi montada pela emissora uma página em português no Facebook onde se pode ouvir a programação em qualquer horário.

Mohamed El Kamel é pessoa simpática, fala português com clareza, embora com sotaque árabe. Para nós brasileiros de São Paulo, especialmente, não há nenhuma dificuldade para entendê-lo. Aqui é comum a presença dos imigrantes oriundos do oriente médio que ao lado de seus descendentes convivem conosco em completa harmonia. O nosso colega egípcio pediu para que fizéssemos uma gravação comentando a importância do Dia Mundial do Rádio, comemorado na última terça-feira (13), bem como sobre a festa de São Valentim, no dia seguinte (14).

Sobre a data internacional que homenageia o veículo de comunicação eletrônica mais antigo do planeta, notei que oficialmente o nome se escreve no feminino - Dia Mundial da Rádio. Fui atrás para saber os motivos e descobri que a decisão partiu da Unesco. O motivo foi o de lembrar que no dia 13 de fevereiro de 1946 se formou pela primeira vez na história uma rede de emissoras para a transmissão de um programa simultâneo destinado a um grupo de seis países. O feito marcou a inauguração Rádio das Nações Unidas, em Nova York. Em 2011, a Assembleia Geral da ONU, definiu o início das comemorações do Dia Mundial da Rádio (o mais correto para nós brasileiros seria Dia Mundial da Radiodifusão) a partir do ano seguinte, 2012.

Radio-no-Brasil temproarioNo Brasil as festividades nacionais alusivas ao dia do Dia do Rádio começaram em 1943 e ainda costumam acontecer no dia 25 de setembro, data que lembra o nascimento de Edgard Roquette Pinto, introdutor do Rádio no Brasil. Foi dele a ideia da primeira transmissão oficial no país acontecida em 7 de setembro de 1922, para um único aparelho receptor instalado na Praia Vermelha, onde acontecia uma exposição comemorativa ao Centenário da Independência.

Na foi ouvido um discurso do então presidente da República, Epitácio Pessoa, transmitida do Palácio do Catete, sede do governo, para uma torre instalada no alto do morro do Corcovado e de lá captada através das ondas sonoras por um aparelho receptor no local da solenidade. O fato para o Brasil representava um avanço tecnológico sem precedentes, mas nem todos se deram conta disso e a princípio não despertou grande atenção dos presentes, pelo fato talvez de artistas da época terem feito em seguida suas apresentações musicais de corpo presente.

Passada a exposição ninguém mais tocou no assunto e preocupado por entender a importância política que o veículo de comunicação representava, Roquette Pinto buscou convencer o presidente da República a comprar em nome do povo brasileiro os equipamentos de transmissão radiofônica, mas não obteve sucesso. Compareceu então à Academia Brasileira de Ciências e expôs a situação, conseguindo com o dinheiro doado pela entidade comprar os equipamentos. Nasceu dessa aquisição a primeira emissora oficial do país, a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, em 1923, dirigida pelo próprio Roquette Pinto.

Para os brasileiros, o verdadeiro inventor do rádio é o padre gaúcho Roberto Landell de Moura.Para homenageá-lo, um decreto assinado, por Getúlio Vargas, instituiu a partir de 25 de setembro de 1943 as comemorações do Dia do Rádio e no mesmo decreto se instituiu também o Dia do Radialista, em 21 de setembro. Devido à proximidade das efemérides se fazia confusão nas comemorações e em 1966, o marechal Castelo Branco decidiu unificar em uma só data, 21 de setembro as festividades voltadas para os profissionais da área e para o veículo de comunicação.

Outro presidente, anos mais tarde, decidiu mudar tudo. Através do decreto-lei 11.327 de 2006, Lula modificou as datas comemorativas do Dia do Rádio e Dia do Radialista para 7 de novembro, em homenagem à data natalícia do compositor, músico e radialista Ary Barroso. Antes dele, Fernando Henrique Cardoso, também já havia modificado datas alusivas, transferindo de 10 de setembro para 1º de junho, o Dia do Jornalista. Essas novas datas, entretanto, não extinguiram a tradição deixada pelas comemorações anteriores e assim jornalistas e radialistas recebem cumprimentos e tapinhas nas costas dos amigos, várias vezes ao ano em alusão a uma mesma efeméride.

Não expliquei ao colega do Egito todas essas mudanças, seria complicado demais. Também não deu tempo de explicar que para os brasileiros, o verdadeiro inventor do rádio é o padre gaúcho Roberto Landell de Moura. Em 1893, este padre vigário de uma paróquia em São Paulo, realizou a façanha de transmitir do ponto mais alto da cidade, a Avenida Paulista, sua voz para um aparelho receptor instalado em sua sacristia no Alto de Santana. Documentos e posteriores patentes atestam o invento de Landell de Moura, hoje reconhecido oficialmente pelo governo brasileiro através do decreto-lei 12.614, de 27 de abril de 2012, assinado por Dilma Rousseff colocando o nome deste padre no Livro dos Heróis da Pátria, depositado no Panteão da Pátria e da Liberdade Tancredo Neves, em Brasília, atribuindo a ele o título de “Inventor do Rádio”.

Sobre a outra data, 14 de fevereiro, Dia de São Valentim, alusiva em diversos países do mundo ao dia dos casais enamorados, precisei explicar ao colega Mohamed El Kamel que no Brasil durante o mês de fevereiro se comemora o carnaval, uma festa excessivamente animada com muita música, dança e bebidas alcoólicas por cinco dias seguidos. Diante desse clima, a celebração do amor e da união entre os casais apaixonados não surtiria efeito. Difícil para quem mora em outro país entender os motivos que levam o povo brasileiro a gostar tanto de carnaval e tudo o que acontece nele. Enfim, contei que no Brasil a comemoração do Dia dos Namorados acontece no dia 12 de junho, véspera de Santo Antônio, que do mesmo modo que São Valentim, também é um santo casamenteiro.

Serviço: Rádio Cairo. Transmissões diárias para o Brasil: das 23:15
às 00:30 Horário de Brasília, em 15.420 KHz. Via On Line:
(https://www.radios.com.br/radio/cidade/cairo/19741).
Facebook: Rádio Cairo Internacional

(*) Geraldo Nunes, jornalista e memorialista, integra a Academia Paulista de História. (O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.)

Mais artigos...

  1. Dançarinas de aluguel que atuavam nos taxi-dancings de São Paulo
  2. Era uma vez um repórter aéreo na noite do réveillon
  3. Lendas e Verdades sobre o Natal
  4. Alguém ainda duvida que Elvis não morreu?
  5. Greve Geral há cem anos traz reflexões sobre o momento atual
  6. Jânio Quadros volta a ser assunto na cidade após entrega dos “Arcos”
  7. Machado de Assis e os 178 anos de um texto que não envelhece
  8. Os 50 anos do disco mais emblemático dos Beatles
  9. Conheça os fatos que marcaram a fatídica noite de 23 de maio de 1932
  10. Os 80 anos da Rádio Bandeirantes e a democracia no Brasil
  11. São Paulo com suas ruas e bairros de nomes polêmicos
  12. São Paulo de Todos os Tempos e o sentido de respeito à cidade
  13. O fim da Rádio Estadão é só um pedaço da crise instalada na mídia
  14. Há 150 anos o trem chegava a São Paulo
  15. Bravo Maestro, ou Maestro Bravo?
  16. Belém ou Belenzinho? Eis a questão
  17. “Novos Cangaceiros” agem no interior do Nordeste como nos tempos de Virgulino Ferreira, o “Lampião”
  18. Memórias de um repórter aéreo no aniversário da cidade
  19. A estrela sobe
  20. Circulando de carro por uma São Paulo que não volta mais
  21. Um passeio na história paulistana para quem visita a Liberdade
  22. Os 50 anos do álbum Revolver e a curiosa história de Eleanor Rigby
  23. Na festa da Rádio Nacional preocupação e saudades
  24. Paralimpíadas prometem marcar história no Brasil
  25. Morre o policial criador do Museu do Crime
  26. A curiosa passagem de um cronista inglês pelo Brasil de 1927
  27. Postura do povo paulista em 32 é exemplo para nossos dias
  28. Narrações esportivas da Copa 50 são doadas ao Museu do Futebol
  29. Vamos falar da Mooca?
  30. Os reis do futebol
  31. Esculápios, Boticas e Misericórdias na Piratininga D’Outrora
  32. A magia da vida nas canções de Gal Costa
  33. Conheça a verdadeira história da Revolução Constitucionalista
  34. A Era do Rádio
  35. São Paulo mantém mas não preserva a lenda do DC-3
  36. Os 20 anos do Windows 95 e o museu brasileiro do computador
  37. 50 anos depois a Jovem Guarda já é vista com melhores olhos
  38. Estados Unidos reabrem embaixada com festa e desconfiança
  39. Constellation: uma viagem aérea e musical pelo Rio de Janeiro antigo
  40. Há 60 anos surgia a fábrica de sonhos de Walt Disney
  41. Da maioridade de Dom Pedro II aos dias atuais, o Brasil sempre foi um país de “pedaladas”
  42. Marisa Monte reconhecida entre as melhores da MPB
  43. Estatuto da Pessoa com Deficiência: agora começa luta para qualificar a mão de obra
  44. A verdadeira história da Revolução Constitucionalista
  45. Marreco jogou melhor no tricolor do que Pato e Ganso
  46. Maria Bethânia: quinta melhor voz da MPB em todos os tempos
  47. Você já foi chamado de “coxinha”?
  48. Descubra o que São Paulo perdeu visitando acervo digital
  49. Descubra o que São Paulo perdeu visitando acervo digital (2)
  50. Livro e exposição resgatam chegada do zepelim ao Brasil
  51. Arqueólogas descobrem no Rio caminho secreto de Dom Pedro I
  52. Mostra desvenda a figura do Morgado de Mateus
  53. Em novo livro Gilles Lapouge declara seu amor ao Brasil

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP