Nove anos nos palcos

O espetáculo “Engolindo Sapo”, concepção do ator e diretor Renato Scarpin, volta para uma curta temporadacom apenas cinco sessões durante o mês de março

Espetáculo “Engolindo Sapo”, concepção do ator e diretor Renato Scarpin.

Trata-se de um espetáculo solo de humor com uma proposta diferente, já que Scarpin tem um intenso trabalho de ator e intercala momentos de ‘cara limpa’ com personagens inteligentes, inéditas e inusitadas. O nome da peça, com seu subtítulo: ‘Engolindo Sapo... pra um dia comer perereca’, remete a uma brincadeira, uma metáfora, sobre todos os sapos que engolimos na vida, em todos os aspectos do dia a dia, pra quem sabe um dia conseguirmos algo realmente bom, alcançarmos um objetivo de sucesso. No espetáculo, o ator faz uma ácida, porém bem-humorada, crítica à política de impostos do Brasil; às dificuldades de usar o sistema bancário self-service; satiriza as divergências de postura de um casal e da relação entre familiares, entre outras coisas. O ator brinca com o mundo moderno e todas as suas peculiaridades. Revela situações que todos nós passamos, mas nunca paramos para pensar em seu lado cômico, mostra de forma hilária as diversidades e idiossincrasias nas relações entre homem e mulher, amigos, família, chefes ou funcionários, enfim, a intrigante relação humana. Intercalando esses momentos de sátira e descontração, o ator interpreta quatro personagens improváveis: o Sapo da Cantareira, Mohamed, Nicanor e Marigreides.

Serviço: Teatro Bibi Ferreira, Av. Brigadeiro Luís Antônio, 931, tel. 3105-3129. Sextas às 21h. Ingressos: R$ 60 e R$ 30 (meia). Até 30/03.

REFLEXÃO

Compreensão
Observe mais atentamente. A fim de compreender uma situação, um ciclo, ou uma crença que você mantém e que parece que não está funcionando para você, observe mais atentamente. Observe os detalhes para que possa finalmente terminar o que não desejava em sua experiência. A melhor maneira de fazer isto é encará-lo a partir de um ponto de vista objetivo. Em outras palavras, elimine a emoção disto. É aí que os anjos podem ajudá-lo mais. Eles apenas vêem coisas em sua vida como boas e melhores, uma oportunidade para experienciar e sempre do ponto de vista do amor incondicional. Esta é a maneira de ver as experiências que você sente como piores, um fracasso ou um erro. É o momento de você ver a sua luz e saber que é digno e merecedor. Você é uma bela partícula da Luz do Criador e é o momento de deixá-la brilhar. O Pensamento para hoje é: Você é merecedor. Você é digno. Você é uma bela expressão da Luz. É o momento de você acreditar nisto, também. E assim é. Você é muito amado e apoiado, sempre.
Os Anjos e Guias - Sharon Taphorn.

“É como Diz o Ditado...”

Cena da peça “É como Diz o Ditado...”.

Isabel e Joaquim são um casal de circenses na peça “É como Diz o Ditado...”. Ela, a mulher barbada e cigana. Ele, o versátil palhaço Coriza. Os dois, antigos artistas do grandioso Circo Vital. Um dia depois do casamento, por uma falha, o casal acorda e o circo não está mais lá. Abandonados, os dois descobrirão uma nova forma de viver com muita criatividade. A narrativa passeia pelos ditados populares, tão presentes no nosso cotidiano, mas que muitas vezes nós nem nos damos conta de como eles resumem nossas situações mais corriqueiras. Assim, entrando numa saga repleta de aventura e emoção, os dois personagens vão nos mostrando suas histórias com muito humor, fazendo com que o público se identifique logo de cara. Com Beatriz Gimenes e Rodrigo Inamos.

Serviço: Inbox Cultural, R: Teodoro Sampaio, 2355, Pinheiros. Sábados às 16h. Ingresso: R$ 40. Até 17/03.

Leitura

O Teatro Kaus Cia Experimental realiza a leitura da peça “Chuva de Anjos”, texto inédito do dramaturgo argentino Santiago Serrano, no dia 28 de fevereiro. Escrita em 2007, a peça propõe uma reflexão sobre a solidão e o individualismo nas grandes cidades apresentando um diálogo improvável entre duas mulheres rodeadas de edifícios altos de onde se atiram alguns suicidas. Enquanto cada personagem se torna o cenário de sua própria tragédia, os males da contemporaneidade são apontados em um jogo de claro-escuro, de palavra e silêncio, de presença e ausência, e de caídas metafóricas.

Serviço: Oficina Cultural Oswald de Andrade, R. Três Rios, 363, Bom Retiro, tel. 3221-4704. Quarta (28) às 20h. Entrada franca.

Comédia

Elenco da comédia “Laboratório Sexual - Que Comece o Jogo”.

O espetáculo “Laboratório Sexual - Que Comece o Jogo”, mostra o cotidiano de uma companhia de teatro, apresentando os bastidores dos ensaios diários e de um estudo cênico para uma peça sobre sexo. Com Lu Monteiro, Giovana Adolpho, Rafael Brandão, Marcos Paulo Moreira, Thiago Azanha e Matheus Spadari.

Serviço: Oficina Cultural Oswald de Andrade, R. Três Rios, 363, Bom Retiro, tel. 3222-2662. De segunda a quarta às 20h. Entrada franca.

Corpo

O artista Maikon K trabalha nas fronteiras entre performance e dança, teatro e ritual e tem como foco da arte o corpo como instaurador de realidades e os limites entre humano e não humano. A ação dá continuidade à pesquisa do artista também presente em DNA de DAN, selecionada pela artista Marina Abramovic para integrar a exposição Terra Comunal em 2015. Estruturada em duas partes distintas, a performance é sobre observar e ser observado, sem no entanto se deixar tocar. O nome da ação remete ao recipiente que recria as condições ambientais para a criação de animais ou plantas, fora do qual é possível observar o comportamento dos seres vivos em seu interior.

Serviço: Sesc Belenzinho, R. Padre Adelino, 1000, tel. 2076-9700. Sexta (23) e sábado (24) às 21h30 e domingo (25) às 18h30. Ingresso: R$ 20.

 
 
Mais Lidas