Que papel você quer viver? 3

O mundo, desde o lendário Big Bang, nunca cessou seu movimento. É um contínuo fluxo de expansão e, acreditam alguns cientistas, retração. Não há nada parado no Universo. Assim também ocorre conosco. Não podemos ficar parados em uma situação, ideia ou método, correndo o risco de sermos atropelados pelo movimento contínuo que a mudança produz

Num mundo em constante movimento ou você está indo em frente, ou está ficando para trás. Mesmo que seja nosso desejo, não é possível ficar parado no mesmo lugar, fazendo a mesma coisa. Imagine uma pessoa parada numa estação de trem. Há um trem que parte rumo ao futuro. Para a pessoa que ficou parada na estação, a sensação é de que ela ficou no mesmo lugar. Entretanto para as pessoas embarcadas naquele trem, aquela pessoa está ficando para trás. Ou você embarca no trem, ou vai ficar para trás.

dulce magalhaes

Dulce Magalhães
Filósofa, Educadora, Pesquisadora, Escritora e Palestrante. (www.dulcemagalhaes.com.br).

Se você não avança em sua rotina de vida. Não se aperfeiçoa, não estuda, não muda métodos e hábitos, você até pode imaginar que está mantendo uma situação, mas se existe alguém em algum lugar, que esteja aprendendo, se desenvolvendo e crescendo, essa pessoa é a referência e está lhe deixando para trás.
Não há como escapar da mudança, ela está por toda parte, dentro e fora de nós. E, apesar de todos os nossos esforços, só há dois papéis a ser exercidos na mudança: o de agente ou o de vítima. Como agente de mudança, você tem a responsabilidade de aprender a lidar com o novo, de enfrentar os desafios, de elaborar as soluções. O agente de mudanças não tem as respostas prontas, mas não se intimida, nem esmorece, para encontrá-las. Agir, arriscar, testar, errar, acertar, recomeçar, esses são os verbos daqueles que buscam seu espaço num mundo em constante movimento. Em compensação, é o agente de mudanças que pode aproveitar a jornada, que percebe e aproveita as oportunidades, que cria a própria realidade.
Como dá muito trabalho, e é por vezes estressante viver o papel de agente, algumas vezes nos acomodamos no papel de vítima da mudança. Nos sentimos atropelados pelo ritmo das coisas, parece que o mundo se volta contra nós. Passamos a responsabilidade dos resultados de nossa vida para as mãos de outros e encontramos culpados para tudo o que não estamos alcançando. O governo, a família, a escola, a sociedade, enfim tudo serve de justificativa para os sonhos não realizados. Encontramos vilões onde projetamos nossa angústia, nosso desalento e nossa frustração.
É tão fácil ser vítima quanto agente, é apenas uma questão de decisão. É evidente que há fatos que atropelam nossa existência, porém como afirmava o filósofo Sócrates, a realidade não é formada por fatos e sim por crenças. E o que é uma crença? É a versão que a gente dá aos fatos. Não é o fato em si, mas a forma como reagimos a eles. Ao termos essa percepção, já estamos assumindo uma nova posição no mundo. Na medida que atuamos na mudança de nossa visão da realidade, revisamos nossas crenças e alteramos nosso comportamento, estamos escrevendo uma história diferente para nossa própria existência. E é sempre muito útil refletir que história estamos escrevendo. Se sentir autor de sua própria vida, transfere o poder do externo (governo, família, empresa) para o interno, onde o indivíduo passa a ser um agente eficaz das mudanças que ocorre em seu dia a dia.
É, seguramente, muito fácil, frente a algumas situações aparentemente injustas, como salários aviltantes, desprezo social, discriminação, debilidade física, ou até um simples semáforo fechado, nos recolhermos em nossa posição de vítimas e considerarmos que o mundo se volta contra nós. Todavia, não importa quais sejam as situações que se apresentem você é capaz de encontrar uma solução. Para todos os desafios que vivemos hoje há uma resposta pronta em nós. O que precisamos é buscar essa resposta com afinco, coragem e perseverança.
Quando pensamos em problemas vividos e superados em nosso passado, nos damos conta de que naquele momento o problema parecia maior do que nós mesmos, mas olhando em retrospectiva podemos perceber que ao superarmos a situação passamos a colocar o problema em sua verdadeira dimensão: um estágio para um novo patamar de vida, onde nos tornamos mais fortes, mais confiantes e mais capazes. Esse é o único objetivo dos problemas, nos empurrar para uma situação de progresso. A próxima vez que você tiver que encarar um problema se pergunte: o que eu preciso aprender com isso? Na resposta está sua maior oportunidade de vida.

banner GFAI

Para anunciar nesta coluna ligue (11) 3106-4171 e fale com Lilian Mancuso

Coordenação: Lilian Mancuso e Rebeca Toyama

Mais artigos...

  1. A VIDA É MUITO LINDA E RÁPIDA
  2. Aprendendo a ter, fazer e ser para conviver...
  3. Mudança de hábito já!
  4. Trabalho além do trabalho
  5. Vamos jogar frescobol nas empresas?
  6. Conheça o ALFREDO, mestre da administração!
  7. Nos momentos de crise, qual a melhor forma de agir quando empregado ou empregador?
  8. Clareza e Certeza
  9. Ciclo sem fim!
  10. Missão de Vida
  11. O que aprendi falindo
  12. Conflitos no dia a dia: aborrecimentos ou oportunidades de aprendizagem?
  13. O que é não ter e ter que ter pra dar
  14. 1 Passo para o seu melhor
  15. Campanha ‘Adote um Imigrante’
  16. Quem Sou Eu?
  17. Pecados de um dedinho invasivo
  18. A comunicação no trabalho e as 3 peneiras de Sócrates
  19. Problemas e desafios
  20. As empresas e a relação com as finanças pessoais de seus colaboradores
  21. Enxergar o que está por trás
  22. Valores e talentos: quais são os seus?
  23. Como você motiva sua equipe?
  24. Tripulação, portas em automático!
  25. Auto sabotagem X Auto respeito
  26. Um Waze para as carreiras...
  27. A jornada do herói
  28. Ficar rico ou realizar sonhos, o que vem primeiro?
  29. No mundo dos negócios, quem não se comunica...
  30. Uma reflexão sobre os mitos da meritocracia
  31. Uma receita para ser feliz....
  32. Pressa, Pressa, Pressa !!!
  33. Cantores não sobem ao palco pra levar vaia. Mas...
  34. Compartilhando o meu caso: Gravidez: a relação entre a mulher, momento profissional e a empresa
  35. Instinto ou intuição
  36. Que BOOM é esse?
  37. Resiliência
  38. Liderança x Poder: é preciso entender limites para saber gerir equipes
  39. As empresas e as caminhadas
  40. Sonhar e fazer
  41. Mais com menos ou menos com mais?
  42. De novo, a crise. Abrace-a até encontrar o lado B: a oportunidade
  43. “O passado está no presente e o presente contém o futuro”
  44. A essência da mudança
  45. Que papel você quer viver? 2
  46. Gula e gula
  47. Conhecer para liderar
  48. Posição
  49. Três desafios da liderança
  50. Transformando ideias em rotinas...
  51. “CMC – 3 caminhos para a evolução”
  52. Inovação. Quando você surpreendeu pela última vez?
  53. Agir ou reagir
  54. Experiência gera aprendizagem?
  55. 4 Passos básicos de um processo seletivo
  56. Arquétipos corporativos
  57. A frustrada Geração Y
  58. Fama, Reputação e Prestígio
  59. Saber dar e receber feedback de maneira adequada é uma das competências profissionais que garantem empregabilidade
  60. Ensine, aprenda e ganhe asas!
  61. Integração x Desintegração. Qual o seu perfil?
  62. Compromisso e comprometimento
  63. Eu não paro por uma gripe ?!?!?
  64. Com fiança
  65. Reencantando Colaboradores
  66. O verdadeiro CRM
  67. Ter Paixão
  68. Vacina Contra a Desmotivação
  69. A Reputação é o seu maior ativo, pessoal e corporativo
  70. Indo além da cultura meritocrática
  71. Um mestre aonde não se espera
  72. Harmonia Entre Gerações
  73. Parar ou Seguir?
  74. Luz, Câmera, Ação!
  75. Bancar o pequeno não ajuda o mundo
  76. Trabalhar ou Jogar?
  77. Vítima ou protagonista eis a questão
  78. A Babel Popozuda
  79. Em busca das segundas-feiras felizes
  80. Perguntas sem respostas
  81. Fundo de investimento para ser feliz
  82. Crenças Limitantes
  83. O clima organizacional de uma empresa
  84. O poder do bom humor
  85. Eu tenho tempo
  86. Quem? O que? Pra quê? Por quê? Quais as consequências?
  87. Conheça-se e saiba se está no caminho certo
  88. Eu? Não! Só os outros são assim
  89. Auto- Sabotagem X Auto-Conhecimento
  90. Agilidade. Simplicidade. Pragmatismo. Foco no baixo custo e alta empatia
  91. Assédio Moral, prática reforçada pelo medo
  92. O que desejo ser em 2014?
  93. Um desafio para 2014: manifestar o que há de melhor em cada um de nós
  94. Encontre seu Espaço
  95. O lado positivo das mudanças
  96. Senso de Liderança
  97. 2014: Um novo ano. E você será o mesmo?
  98. O poder do sorriso
  99. Dumping-parceiro, ou o lobo chegando em pele de cordeiro
  100. Discernimento nas Organizações
Mais Lidas