A polêmica da cafeína

Sou suspeita para falar da cafeína. Como amante de um bom e forte cafezinho, fica difícil ponderar a respeito

Levando em conta tantos estudos que dizem que a cafeína pode ser remédio ou veneno para o ser humano, resolvi deixar de ser uma mera apreciadora desta bebida, para ler e aprender um pouco mais sobre o tema. A primeira informação que obtive é interessante: a diferença pode estar ligada à idade de quem ingere o café.
Nos adultos, parece proteger o cérebro de danos causados pelo estresse e seus consequentes quadros depressivos. Já na vida intrauterina pode prejudicar o desenvolvimento cerebral e apresentar fator de risco para doenças, como epilepsia, por exemplo. Essas conclusões foram tiradas de estudos feitos com camundongos, apresentados durante a edição deste ano do Congresso Mundial do Cérebro, realizado no Rio de Janeiro, no início de julho.
Interessante também é saber como um dos grupos de pesquisa, formado por alemães, americanos e brasileiros, conseguiu reproduzir nos camundongos, situações semalhantes às que afligem os humanos, como depressão causada por desgraças do dia-a-dia. Eles utilizaram ações como: agitar a caixa onde estavam, deixá-los com pouca alimentação temporariamente, banho de água fria, nado forçado etc.
As cobaias tiveram seu comportamento avaliado e testado. Um roedor em condições normais, tenta nadar e escapar daquela água a todo custo. Se estiver deprimido, ele desiste logo e começa a boiar… Os ratinhos tratado com cafeína apresentaram menos sintomas depressivos, durante os experimentos.
Já uma equipe de pesquisadores franceses estudou sobre os efeitos da cafeína durante a gestação e a lactação em camundongos. As fêmeas foram habituadas a beber café diluído na água, o equivalente a duas ou três xícaras por dia. Depois, foi-lhes ofertado café na gestação e período de lactação. Observou-se que houve um desequilíbrio no processo cerebral dos filhotes e posteriormente nos camundongos adultos, causado pelo atraso da migração dos neurônios.
Para pessoas leigas, como eu, achei muito interessante a pesquisa, para entender o processo da cafeína e o porquê dela ser considerada remédio para alguns e veneno para outros… Sabemos que não é só o café que contem cafeína, mas também os refrigerantes, chás, energéticos, entre outros. Fiquei feliz com o aprendizado, pois o café está presente na minha rotina e sempre é um prazer apreciá-lo, com moderação.

(*) - É jornalista e ativista pela Cultura da Paz (O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.).

Mais Lidas